O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Nota da Seduc

“Sobre a post “Alô, Seduc! Alô, Governador!”
publicada no Blog da Franssinete Florenzano, a Secretaria de Estado de Educação
(Seduc) informa que reconhece como válida a iniciativa da professora da
Escola Estadual de Ensino Médio Raymundo Martins Vianna em manifestar suas
críticas e acrescenta que as mesmas também devem ser dialogadas junto à Seduc
para que, no âmbito da gestão da Rede Estadual, soluções e esclarecimentos
possam ser encaminhados.
A Seduc informa que também concorda com a professora quando afirma
“não posso chamar isso de Pacto pela Educação”. O que a Seduc chama
de Pacto pela Educação do Pará é a articulação de diversos segmentos da
sociedade para enfrentar a situação apresentada pela professora. Trata-se de
uma ação do Governo do Estado, que conta com a parceria de instituições
públicas e privadas, de organismos internacionais e da sociedade civil que, por
meio da união de esforços, visa elevar a qualidade da educação básica paraense
em diversas frentes: formação de professores, investimentos em rede física,
melhoria da gestão de toda a Rede Estadual de Ensino, implementação de um
sistema próprio e contínuo de avaliação, entre outros. A ação tem como
principal meta a melhoria da qualidade da educação, aumentando o Ideb (Índice
de Desenvolvimento da Educação Básica) do Pará em 30% até o ano de 2017. Para
isso, há no 34 projetos. 
Sobre a matrícula de estudantes com deficiência em turmas de ensino
regular, a Seduc esclarece que obedece as diretrizes da Política Nacional de
Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Conforme previsto no
decreto federal 7611/2011, as Redes de Ensino devem ofertar aos estudantes
com deficiência duas matrículas: uma no Ensino Regular Inclusivo e outra no
Atendimento Educacional Especializado (AEE). Por meio da
Coordenação de Educação Especial (Coees) são ofertadas, duas vezes ao mês,
cursos de formação continuada para qualquer professor do ensino regular que
atuam com estudantes com deficiência e demais interessados. A Escola
Raymundo Martins Vianna possui uma professora com especialização em educação
especial. A docente é responsável pela avaliação dos estudantes com
deficiência. Além disso, uma psicóloga e uma assistente social lotadas na 11ª
Unidade Seduc na Escola (USE), a qual a unidade de ensino está vinculada,
prestam assistência à educação especial.
Em relação a poluição sonora e a situação da estrutura física da unidade
de ensino, a Seduc informa que um engenheiro da Rede Física visitará a escola
para averiguar as necessidades de intervenção. 

Secretaria de Estado de Educação”

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *