O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

No vale-tudo da politicagem, até bruxaria

Era só o que faltava. A Polícia Federal achou, na célebre Casa da Dinda, do senador Fernando Collor de Mello, em cima de uma mesa, foto do Conselho Nacional do Ministério Público com os rostos do procurador geral da República, Rodrigo Janot, e de Fábio George, considerado homem forte no CNMP,  assinalados num círculo feito a caneta. Acima da foto, numa folha de papel com o timbre do Senado, os nomes de vários orixás: Iemanjá, Elegbara, Oxalá, Ogum, entre outros. Quem conta é o jornalista Lauro Jardim, na sua coluna em Globo. Rosane Malta, ex-mulher de Collor, relatou detalhes do envolvimento do ex-presidente com magia negra em seu livro Tudo o que vi e vivi. Ela revelou que Collor participava de rituais com matança de animais, como búfalos, bodes, macacos e galinhas, para ganhar as eleições. E que até defuntos e fetos humanos foram usados em bruxarias para tirar a candidatura à Presidência do apresentador Silvio Santos. Collor já ofendeu publicamente o procurador-geral da República, a quem chamou de “f.d.p.”, “sujeitinho à toa”, “fascista da pior extração” e “sujeito ressacado sem eira nem beira”. E também tenta, sem sucesso, barrar a recondução do procurador-geral ao cargo.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *