1

Quase todo mundo já foi ou teve parente e amigo vítima de golpe nas redes sociais. Clonagem de WhatsApp, de perfis no Facebook, Twitter e Instagram viraram rotina. Pedidos de dinheiro e ofertas de vantagens, sorteios e benesses variadas são encaminhadas aos contatos e os incautos acabam se prejudicando. Para ajudar a população a lidar com esses ataques, o Grupo de Atuação Especial de Inteligência e Segurança Institucional (GSI) do Ministério Público do Estado do Pará lançou um informativo de prevenção e orientação quanto aos golpes executados por meio do WhatsApp, elaborado pela Coordenadoria de Tecnologia e Laboratório contra Lavagem de Dinheiro.

É muito importante verificar se a pessoa que manda a mensagem é realmente quem diz ser: são muito frequentes os casos em que os criminosos utilizam fotos de pessoas conhecidas, algum familiar ou amigo. Sempre é preciso verificar também se o número é o mesmo: quando muda, o próprio aplicativo se encarrega de avisar aos demais usuários. Ao perceber que foi vítima de tentativa, ou do golpe em si, faça a denúncia para o e-mail do WhatsApp. Em até 48 horas, a empresa se compromete a enviar uma resposta. Também denuncie no próprio app, a partir das configurações do contato, selecionando “Denunciar contato” e escolhendo entre “Denunciar e bloquear” ou somente “Denunciar”. Se descobrir que um criminoso está usando seu perfil, não interaja com ele. A melhor opção é bloqueá-lo, registrar Boletim de Ocorrência na Delegacia Virtual e tomar outras providências conforme o caso.

Outras dicas do MPPA: oculte a foto de perfil para quem não é contato: nas configurações do WhatsApp, vá até a aba “Privacidade” e mude para “Meus Contatos” a privacidade da foto de perfil. É possível fazer isso com os indicadores de “Visto por Último” e “Recado”, garantindo que somente pessoas permitidas vão ter acesso a seu perfil. Com isso, é mais difícil o acesso aos materiais usados pelos criminosos nos golpes. Mesmo que o golpe não envolva o roubo direto das contas, é sempre melhor deixar habilitada a autenticação em duas etapas do WhatsApp e nunca informar o código de SMS enviado para confirmar seu login a qualquer pessoa, mesmo que insista ser funcionária da empresa. Clique aqui para acessar o informativo completo.

Arara-Azul vai morar no Mangal das Garças

Anterior

“Ó mulheres! Mulheres, quando deixareis vós de ser cegas?”

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

1 Comentário

  1. Para os tempos atuais uma iniciativa muito importante do MPPA visando reduzir as possibilidades de sucesso dos criminosos virtuais contra o cidadão de bens.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *