Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

MPE segue o dinheiro do Igeprev

Lembram do alerta que fiz há alguns
dias acerca do Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Pará? Pois o 6º
promotor de justiça Firmino Araújo Matos, de Defesa dos Direitos
Constitucionais Fundamentais, do Patrimônio Público e da Moralidade
Administrativa, expediu Recomendação ao presidente e diretores do Igeprev para
que se abstenham de determinar a realização de aplicações, com recursos do
Funprev, em fundos de investimentos que não tenham sido aprovados pelo Núcleo
Gestor de Investimentos do Instituto, assim como em fundos de investimentos.
Todos estão advertidos, desde já, de que o desatendimento será considerado
manifestação inequívoca de intenção de descumprir a lei, o que sujeita a
responder pela prática de ato de improbidade administrativa.
Argumenta o promotor que é preciso
evitar a repetição de fatos acontecidos no Igeprev em 2010, 2011 e no início deste
ano, de modo a preservar os recursos do Fundo Previdenciário do Estado do Pará,
cujo patrimônio líquido é superior a R$1,6 bilhão.
Foi instaurado
Inquérito Civil a fim de apurar irregularidades no funcionamento do Conselho
Estadual de Previdência e, principalmente, na gestão dos recursos do Funprev,
que recebe as contribuições previdenciárias dos que ingressaram no serviço
público estadual a partir de janeiro de 2002, quando entrou em vigor a Lei
Complementar Estadual n. 039.
Leiam aqui na íntegra a Recomendação do
Ministério Público estadual.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *