As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Os fatos que ensejaram a prisão preventiva do SGT Gildson dos Santos Soares e o afastamento da Coronel QOPM/PA Andréa Keyla Leal Rocha do Comando de Policiamento Ambiental da Polícia Militar do Pará descortinaram uma situação gravíssima e surreal dentro…

MP pede destituição de Mauro Santos

O promotor
de Justiça de Tutela das Fundações e Entidades de Interesse Social, Falência,
Judicial e Extrajudicial, Sávio Rui Brabo de Araújo, requereu ontem perante a
13ª Vara Cível de Belém a destituição do administrador judicial da Celpa, Mauro
César Lisboa Santos, além da indisponibilidade de seus bens, em
caráter liminar, como medida cautelar incidental. 

O Ministério Público afirma que busca “uma situação jurídica que
possibilite estabelecer os princípios da boa fé, da transparência e da
probidade flagrantemente violados
” por Mauro Santos.

Sávio Brabo tem como base o art. 31 da Lei de Responsabilidade Fiscal, que
prevê que “qualquer interessado ou quaisquer membros do Comitê de Credores” tem
legitimidade para requerer a destituição do administrador judicial quando a sua conduta resultar em desobediência aos preceitos da LRF; descumprimento
de deveres, omissão, negligência; ou prática de ato lesivo às atividades do
devedor ou a terceiros.

Leiam aqui na íntegra o requerimento da Promotoria.


Mauro Santos é tido como tubarão que nada em qualquer água, doce ou salgada e na piscina também se for preciso. Mas o MP está de olho nele. Recentemente, foi pivô de escândalo ao receber R$20 milhões a título de honorários como advogado do caso Celpa, mesmo sendo administrador judicial, pelo que é remunerado com “míseros” R$60 mil mensais. Por conta disso o procurador de Justiça Nelson Medrado ajuizou a ação rescisória nº 2014.3.006797-1, a fim de rescindir o Acórdão nº 127.090, de
25.11.2013, da 1ª Câmara Cível Isolada, que deu provimento ao Agravo de
Instrumento nº 20133022800-3. Pela Reclamação Disciplinar nº
0000138-06.2014.2.00.0000, a Corregedoria Nacional de Justiça, do CNJ, apura
eventual infração de dever funcional quanto à prolação da decisão judicial. Detalhe: Mauro
Santos recebeu o dinheiro através da pessoa jurídica Santos & Santos
Advogados Associados S/S, da qual é sócio majoritário. O que remete a uma economia substancial no imposto de renda. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *