Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

A igreja de São Francisco de Assis em Belém do Pará, carinhosamente chamada pelos fiéis de "Capuchinhos", completará cem anos de sua inauguração em 02 de outubro de 2022. A abertura oficial das festividades será com um concerto na igreja…

O trânsito continua matando mais do que muitas guerras. A administradora Gina Barbosa Calzavara, coordenadora dos bosquinhos da Universidade Federal do Pará, fez uma emocionante homenagem à memória do jovem Jean Serique Lameira, esportista do ciclismo e que também usava…

O Laboratório de Engenharia Biológica do Parque de Ciência e Tecnologia - PCT Guamá está estudando o sequenciamento genético do açaí, de modo a assegurar a rastreabilidade de ponta a ponta na cadeia produtiva e padrões de qualidade para os…

MP no pé dos peritos do IML de Castanhal

Vejam só esta: a promotora de Justiça de Castanhal, Ana Maria Magalhães Carvalho, instaurou Procedimento Investigatório Criminal a fim de apurar a acumulação de cargos públicos no Centro de Perícias Renato Chaves, em Castanhal, além outras irregularidades. Cansada de receber denúncias, ela foi anteontem, 30, até a sede do Centro de Perícias no município e comprovou o caso de um servidor que acumula o cargo de perito de local de crime no IML de Castanhal e também – acreditem! – no Amapá, sendo que comparece esporadicamente ao trabalho em Castanhal. Foi confirmado, ainda, o caso de um perito de balística que trabalha paralelamente no Ministério de Agricultura e tem sob sua responsabilidade mais de 300 armas aprendidas para fazer perícia, pendentes desde 2011. Ele só trabalha um único dia na semana no CPC Renato Chaves de Castanhal – nos sábados à noite -, sendo que sua carga é de 30 horas semanais. 

Por causa disso, a promotora acertou com o diretor do IML de Castanhal que será feito um levantamento dessas armas e o trabalho executado por uma força-tarefa. As que forem ilegais devem ser destruídas pelo Exército. As legais devem ser encaminhadas aos órgãos a que pertencem. 

Está sendo investigado também o caso de um técnico administrativo nível superior que acumula cargos no Renato Chaves e no INSS, motivo pelo qual só trabalha de 16h às 18h no Renato Chaves. No momento, estaria indo regularmente ao Renato Chaves porque o INSS está em greve.
Foi constatada, ainda, a presença de perito de informática que só trabalha na 4ª feira à noite porque tem outra atividade na iniciativa privada, vez que é engenheiro de telecomunicações de uma operadora de celular. T
odos ganham gratificação por  dedicação exclusiva e haveria um suposto esquema de diárias, funcionando da seguinte forma: mandam os peritos e respectivos auxiliares de Castanhal para os municípios vizinhos, em especial Salinópolis. Em seguida, vão os de Belém para Castanhal. Tudo durante o Carnaval, a Semana Santa, o mês de julho, e sempre que há feriadão.
Existe também no Centro um cofre lotado de celulares esperando perícia. A produtividade deles é ínfima”, diz a representante do Ministério Público Estadual.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *