Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

MP denuncia envolvidos em naufrágio

O 1º promotor de Justiça de Barcarena, Daniel Henrique Queiroz de Azevedo, denunciou cinco pessoas e quatro empresas por maus tratos a animais (majorado), poluição ambiental (qualificada) e descumprimento de obrigação de relevante interesse ambiental, em razão do naufrágio do navio libanês Haidar, no dia 6 de outubro de 2015, no Porto de Vila do Conde(PA). 

Barbar Abdulranhman, capitão da embarcação; Hussein Ahmad Sleiman, proprietário da empresa Tamara Shipping Co Ltda.; Parsifal Pontes, presidente da Companhia Docas do Pará; Jerferson Moraes de Assunção, sócio administrador da Norte Trading Operadora Portuária Ltda. e Fernando Galleti de Queiroz, presidente da Minerva S/A e as respectivas empresas são os alvos. Porém,  em relação à Norte Trading, Jerferson Assunção, Minerva S/A e Fernando Galleti é possível que na audiência preliminar seja celebrada transação penal (significa que o MP e os réus, atendidos os requisitos legais e na presença do juiz, podem fazer acordo e extinguir o processo, trocando, por exemplo, a pena de prisão por multa e uma pena restritiva de direitos). 

O navio afundou em Barcarena com uma carga de 5 mil bois vivos, que morreram sob intenso sofrimento, houve poluição das águas e das praias pelos restos de animais mortos e vazamento de óleo, bem como espalhamento de feno, com grande dano ambiental e, ainda, riscos e danos à saúde humana. A demora e omissão das empresas e pessoas responsáveis na tomada de providências concretas nos dias que se seguiram foi crucial para o agravamento do impacto ambiental, frisa a denúncia do Ministério Público. 

O resultado foi, entre a noite do dia 11 e a manhã do dia 12 de outubro, o rompimento total da barreira de contenção, com o que várias carcaças de animais, já em estado avançado de putrefação, atingiram toda a extensão da praia da Vila do Conde.
O material orgânico lançou um odor fétido que atingiu toda a Vila do Conde, obrigando o comércio a parar suas atividades e as pessoas a abandonarem suas casas, muitas delas com problemas de saúde. 

Mais de um ano e meio desde o naufrágio, até hoje ainda não foi retirado o navio Haidar do fundo das águas pela Tamara Shipping Co Ltda., pela CDP ou qualquer outra pessoa física ou jurídica envolvida, o que corrobora todas as omissões descritas na ação e perpetua a poluição do local, reforçou o promotor.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *