Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

MP barra loteamento no lago Juá

O MPF e o MPE-PA ajuizaram ação civil pública a fim de cancelar as licenças ambientais concedidas à Sisa Salvação (Buriti Imóveis) para construção do residencial Cidade Jardim, em Santarém. Querem que paralise o empreendimento, inclusive a venda de lotes, até que seja regularizado o licenciamento, além de consulta prévia, livre e informada às comunidades de pescadores atingidas e reparação dos danos socioambientais causados pela empresa que, em 2012, desmatou 186,24 hectares nas proximidades do Juá, lago do rio Tapajós.
A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e a Prefeitura de Santarém sequer exigiram Estudos de Impacto Ambiental, o que para o Ministério Público torna tanto a licença prévia quanto a de instalação nulas. 

O loteamento urbano fica às margens da rodovia Fernando Guilhon, nas proximidades do lago do Juá. O residencial Cidade Jardim I tem área de 995.417 m² (99,52 hectares), dividida em 2.751 lotes. Desses, 1.693 lotes seriam residenciais e 1.058 comerciais. Embora tenha recebido este ano a licença para área inferior a 100 hectares, os terrenos totalizam 1.370,58 hectares e são derivados do imóvel chamado “Terreno Rural Salvação”. O MP requer, ainda, que o município e a Sisa adotem medidas emergenciais de modo a evitar o agravamento do assoreamento do lago do Juá e do rio Tapajós.

Cliquem aqui e leiam a íntegra da ação.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *