O presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, foi aclamado ontem por servidores e deputados após a sessão plenária, que se estendeu até as 15h, ao entregar os espaços reformados que já estão prontos para utilização. É que, em…

O delegado de polícia de Oriximiná, Edmílson Faro, prendeu o vigia Ailton Ferreira da Silva a pedido do presidente da Câmara Municipal, vereador Marcelo Andrade Sarubi (PSDB) e do vereador Márcio Canto (PTB) e, na presença de ambos e do…

Primeira do Brasil totalmente focada na educação para o trânsito, a biblioteca do Detran-PA foi criada em 1998 e começou direcionada ao público interno, funcionando no antigo prédio do órgão, ao lado da Ceasa. Em 1º de novembro de 1999,…

A Prefeitura de Belém vai revitalizar dezesseis imóveis do município que estão há anos em situação de abandono. Além do resgate do patrimônio histórico, artístico e cultural, a intenção é reduzir gastos com aluguéis de prédios que abrigam órgãos municipais.…

Meninas de Abaeté construíram robô de miriti

Inspiradas na navegação fluvial, que é o meio de transporte da maioria absoluta da população local, e no artesanato de miriti, tradicional no município, alunas da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Professor Bernardino Pereira de Barros, em Abaetetuba, nordeste do Pará, construíram um robô que simboliza e resgata as tradições regionais e com ele apresentaram um projeto original para concorrer na Olimpíada Brasileira de Robótica, entre os dias 30 de julho e 14 de agosto.

Camila Ferreira, Rituana Costa, Isabel Souza e Lohainy Carvalho, da 1ª série do ensino médio, fizeram questão, ainda, de homenagear os condutores de “rabetas” (pequenas embarcações com motor de popa) da região. Batizaram o barco robô com o nome de ‘Bil’, o “rabeteiro” que faz o transporte delas da região das ilhas até a cidade e todos os rabeteiros, que são pessoas de extrema importância na vida de todos os alunos, pois são responsáveis por buscar e levar diariamente as crianças de suas casas à escola para estudar, explicou Rituana Costa.

As meninas também homenagearam Abaeté de uma maneira especial: o robô foi pintado com as cores da bandeira do município, vermelho e azul. Além disso, Bil está programado para se deslocar em uma simulação de resgate de vítima de desabamento de um prédio.

“No desenvolvimento desse projeto e na essência dele a gente usa o conceito do ‘faça você mesmo’, além de conceitos de reutilização e reciclagem. A bateria foi retirada de notebooks que não funcionavam mais, as rodas foram aproveitadas de embalagens de desodorantes. E, além disso, valorizamos a cultura local, pois o robô é todo confeccionado de miriti – material que é algo emblemático da região abaetetubense”, explicou o professor e um dos orientadores do projeto, Sebastião Silva.

A iniciativa teve apoio da Secretaria de Estado de Educação, através do Coordenador de Tecnologia Aplicada à Educação, Jó Elder Vasconcelos, e do Núcleo de Tecnologia Educacional, que dá suporte para alunos em projetos de robótica. Além disso, o NTE qualifica os professores para o uso pedagógico das novas tecnologias.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Participe da discussão

1 comentário

  1. Égua,eu gostei muito dessas matérias feitas e publicadas pela Franssinete, trata-se de um jornalismo inclusivo, voltado para dar voz aos excluídos, esclarecendo, denunciando e promovendo a participação popular numa perspectiva realmente transformadora. Muito obrigado a Você é continue sempre assim viu?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *