0

Os médicos ligados à Cooperativa dos Anestesiologistas no Estado do Pará (Coopanest) receberam às 22h30 da sexta-feira, 22, via e-mail, sem qualquer aviso prévio, comunicado de que estavam todos dispensados da Santa Casa de Misericórdia do Pará. Os plantonistas do sábado só tomaram conhecimento do desligamento quando chegaram ao hospital para realizar suas funções e já encontraram outra empresa prestando os serviços. O tratamento do presidente da Instituição, anestesista Bruno Carmona, aos seus próprios colegas médicos, causou tremendo desconforto e humilhação aos profissionais, publicou o Sindmepa, em nota nas redes sociais, enfatizando ter sido “na calada da noite” e por e-mail.

“O que me doeu foi a falta de consideração e respeito do hospital para com seus trabalhadores, por que sim, somos trabalhadores como qualquer profissional aqui dentro. O que nos diferencia é apenas o regime de trabalho”, declarou um dos médicos desligados.

Para o Sindicato dos Médicos do Pará, a atitude de Bruno Carmona demostra a falta de consideração e total desrespeito profissional.

“Juro que quando vi que teríamos um colega de especialidade no cargo diretivo da Santa Casa, ingenuamente, achei que a situação da anestesia neste hospital teria melhorias maravilhosas. Ledo engano. A situação que estamos vivendo hoje nos mostra que quem está ao lado pode ser muito pior que um declarado inimigo”, disse outro médico dispensado.

CFFO da Alepa aprecia projetos do Executivo nesta terça

Anterior

Intercâmbio de estudantes em Ourém de Portugal

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *