Nem bem foi inaugurado, e ainda faltando a instalação dos bancos e finalização, o calçadão da Avenida Beira-Mar, em Salinópolis, sofreu diversas avarias. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras acionou a empresa responsável pela obra, que está executando ações…

A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Médico constrange aluna com menção jocosa a estupro

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que a estudante redarguiu, confirmando se era necessário, e ele respondeu de forma grosseira e totalmente inadequada a um educador e médico, com a comparação a um estupro, e ainda perguntando se nesse caso ela iria querer um “KY” ou “no seco mesmo”, banalizando um crime hediondo com abordagem jocosa que merece a repulsa geral da sociedade. A aula estava sendo filmada e a gravação do episódio viralizou nas redes sociais, onde proliferam manifestações de indignação por tal conduta. Como se sabe, ontem era o Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher, e no Brasil a média aterrorizante é de um estupro a cada oito minutos.

Hoje, o Sindmepa divulgou nota de repúdio ao professor, que é cirurgião geral e docente dos cursos de Medicina também na Universidade Federal do Pará e na Universidade Estadual do Pará, além de membro da Câmara Técnica de Ensino Médico do Conselho Federal de Medicina e diretor técnico da Clínica Unigastro Pará. Leiam a nota na íntegra:

“O Sindicato dos Médicos do Pará (Sindmepa) vem a público manifestar seu completo repúdio ante ao comportamento do docente do Centro Universitário Metropolitano da Amazônia (UNIFAMAZ), que demonstra total falta de respeito e empatia com um problema tão grave presente na sociedade brasileira nos dias atuais, que é a violência contra a mulher.

Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2020 mostram que foram registrados em média 180 estupros por dia no Brasil, em 2018. O mesmo levantamento aponta que quatro meninas são estupradas por hora no País, uma estatística que nos choca a todos, lançando sobre nosso país uma mancha que precisa ser extirpada. E não se pode admitir que um docente não se sensibilize com essa situação. Nossa solidariedade à estudante de medicina agredida com as palavras do professor e a todas as mulheres vítimas de violência em nosso País.”

Por sua vez, o Conselho Regional de Medicina do Pará se posicionou publicamente, hoje, informando que abriu procedimento administrativo para apurar os fatos. Confiram na imagem a nota do CRM-PA e o vídeo mostrando a cena.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *