A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

Rixa de deputados paraenses impede ajuda a Yanomamis

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou o debate. O deputado federal Éder Mauro (PSD-PA) disse que os indígenas eram “fakes e de iPhone 13”. Por sua vez, a deputada federal Vivi Reis (PSOL-PA) respondeu: “fake é essa sua peruca!” e ficou gritando atrás dele. Já se tornou comum os políticos paraenses protagonizarem vergonhosas e patéticas cenas no plenário da Câmara Federal e do Senado, com troca de agressões e ameaças, além de expressões machistas e preconceituosas contra mulheres, indígenas e quilombolas. Ambos erraram e desonraram os respectivos mandatos. A audiência acabou suspensa após o tumulto.

Os representantes do Pará precisam entender que não foram eleitos para gritar ofensas, sejam lá a quem forem dirigidas, e sim para trabalhar com coerência e honestidade pela população, que deve ser representada com dignidade e respeito.

A audiência tinha a participação do ministro da Justiça e da Segurança Pública, Anderson Torres, convidado para prestar esclarecimentos sobre a morte de crianças Yanomami na comunidade Macuxi Yano, no dia 12 de outubro, no município de Alto Alegre (RR), quando dois menininhos, de 5 e 7 anos, brincavam no rio quando foram sugados pela draga de um garimpo ilegal que opera na região. Além dessas duas mortes, outros dois pequeninos curumins morreram afogados após caírem no rio enquanto fugiam de disparos de garimpeiros no mês de maio, na região do Palimiu, também em Roraima.

Pelo menos quatro das 15 comunidades que vivem na Terra Indígena Yanomami denunciaram ataques nos últimos meses: Yakepraopë, Maikohipi, Korekorema e Tipolei. A audiência deveria obter respostas urgentes do Estado brasileiro para a situação vivenciada pela etnia Yanomami.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *