0

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra a Covid–19 a situação está tranquila mas observou que, se for necessário, pode tornar sem efeito a decisão. “Reconhecemos a importância do carnaval, sua expressão da arte popular, resistência e por Belém ter um contingente enorme de trabalhadores do mercado informal criando renda por meio dele. Estou muito determinado em fazer o carnaval”, justificou.

Edmilson Rodrigues é muito sensível aos apelos dos trabalhadores envolvidos no carnaval, que de fato precisam de renda para o sustento de suas famílias. É uma situação difícil, mas o bom senso manda que não seja permitido o carnaval, nem shows e festas que promovam aglomeração. Todos sabem muito bem o que aconteceu depois da quadra momesca no ano passado e este ano não será diferente. A quarta onda da Covid, com suas variantes extremamente perigosas que não são cobertas pelas vacinas atuais, estão causando novo fechamento nos países europeus. Em Portugal, onde 87,78% da população já está vacinada e não morria mais ninguém de Covid no país inteiro, medidas severas estão sendo tomadas.

O prefeito de Itaituba cancelou shows e festas alusivas ao aniversário de 165 anos de fundação da cidade, no próximo dia 15 de dezembro. O município registra altos índices de contaminação por Covid-19 diariamente. Todos os eventos, festas de réveillon e carnaval 2022 estão cancelados. Nas festas particulares, todo mundo vai ter que apresentar a carteirinha de vacinação. O prefeito de Santarém também cancelou as festas de fim de ano, para evitar aglomerações, e dez escolas já fecharam por conta do alto índice de contaminação. Foram mais de vinte mortos por Covid-19 só neste mês de novembro, e desde o início da pandemia 1.132 vidas foram perdidas no município. Em Marabá a situação é grave, todos os leitos de UTI estão ocupados com pacientes de Covid-19.

Até esta quinta-feira, 16.879 pessoas já morreram no Pará. Apesar disso, todos os hospitais de campanha do Estado já foram desativados, nenhum foi construído, até o site da Sespa específico sobre Covid, que deveria monitorar a doença e manter a população informada, está sem dados novos desde janeiro deste ano. Se houver recrudescimento da pandemia vai ser pior do que em 2020. Por sinal, a Prefeitura de Belém decretou estado de calamidade pública até março de 2022. Com os hospitais regionais do interior lotados e sem dispor dos equipamentos necessários, a capital é para onde são feitos todos os deslocamentos de pacientes.

Seu corpo grita o que sua mente quer calar!

Anterior

Rixa de deputados paraenses impede ajuda a Yanomamis

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *