Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Medalha Isa Cunha em sessão solene na Alepa

Fotos: Ozéas Santos
Em 193 anos do Poder Legislativo, só 28 mulheres tiveram assento na Assembleia Legislativa do Estado do Pará como deputadas. O fato foi destacado pelo presidente da Alepa, deputado Márcio Miranda, hoje de manhã, ao abrir a sessão solene alusiva ao Dia Internacional da Mulher, realizada anualmente desde 1984 pela Casa. 
Historiando a trajetória política de mulheres paraenses que passaram pelo Legislativo, desde 1947, quando a professora Rosa Rebelo Pereira foi eleita a primeira deputada no Pará, Márcio Miranda frisou as enormes dificuldades que a pioneira enfrentou e lembrou as lutas e conquistas de todas as mulheres, servidoras, militares, educadoras, sindicalistas e parlamentares. O presidente também aproveitou para reivindicar maior participação da mulher no cenário político e fez um chamamento para que as mulheres não fiquem só na dependência da legislação, que há muitos anos determina a cota de 30% de participação feminina nas eleições.  

Em 2004, a Medalha Isa Cunha foi instituída pelo Poder Legislativo, em memória à historiadora Isa Cunha, fundadora da Sociedade Paraense dos Direitos Humanos e do Movimento das Mulheres do Campo e da Cidade, e passou a ser outorgada durante a sessão alusiva ao Dia Internacional da Mulher, criada pela Resolução nº 22, de 11 de agosto de 1983, por iniciativa do deputado Raimundo Santos, presidente da Comissão de Constituição e Justiça e da Frente Parlamentar da Mineração. 
Este ano, foram agraciadas Íris Ayres de Azevedo Gama, Alessandra Souza Pereira, Auristela Lopes Brasileiro de Moraes, Denise Terezinha Gabriel, Elda Carlota Ferreira da Silva, Elen Dione Magalhães Paixão de Souza, Francineti Maria Rodrigues de Carvalho, Maria Eunice Figueiredo Guedes, Sandra Batista, Maria Goreti Fonseca Gomes, Martha Helena Seixas Falcoski, Luciana Castanheira e Zenilda Botti Fernandes. Como é tradição, a Alepa prestou homenagens a três servidoras da casa: Vânia Sueli Marinho Velasco (chefe do Gabinete Civil), Capitã Vanessa Costa Tavares Farias (lotada no gabinete da Presidência) e Sílvia do Socorro Gomes Fonseca, funcionária da Casa há 36 anos e lotada no Cerimonial. 

Márcio  Miranda(DEM) delegou a condução da sessão à deputada Cilene Couto(PSDB), 1ª vice-presidente da Alepa, que também foi a oradora oficial e em seu discurso tratou da desigualdade de gênero, do preconceito e da discriminação sofridos pelas mulheres brasileiras.  “Quando falamos em média salarial e mercado de trabalho, elas ainda ganham menos. Na política somos minoria: com representação de 16% no senado, 10% nas assembleias e 3% nas câmaras municipais. Por isso, conclamo as mulheres a buscar maior espaço na política”, desafiou, realçando a violência que atinge as mulheres, as dificuldades enfrentadas na colocação profissional e a tripla jornada diária, arrancando aplausos ao afirmar que não é possível admitir que esse cenário perdure. 
A presidente da Câmara Municipal de Castanhal, Luciana Castanheira, que agradeceu em nome de todas as agraciadas com a comenda, aproveitou para reivindicar melhorias para as mulheres, principalmente a necessidade de combater a violência e o feminicídio, e  também defendeu maior representação na esfera política de modo a assegurar voz e vez. 

Também participaram da sessão solene os deputados Sidney Rosa(líder do PSB), Raimundo Santos(líder do PEN), Renato Ogawa(líder do PR), Coronel Neil(líder do PSD), Carlos Bordalo (presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor), Gesmar Costa(PSD) e Wanderlan Quaresma(PMDB).

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *