Vanete Oliveira, a jovem marajoara de 28 anos e mãe de cinco filhos que sofre há catorze anos com um tumor enorme em um dos olhos, que lhe cobre quase a metade da face, já está internada no Hospital Ophir…

Equipes da Divisão de Homicídios e da Delegacia de Repressão de Furtos e Roubos estavam monitorando há um mês o grupo criminoso que planejava roubar em torno de R$ 1 milhão no caixa eletrônico do Banpará localizado dentro do Hospital…

Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

Manifesto Sindicato é pra lutar

“Dia do trabalhador
não é dia do trabalho, é dia de luta! 
O dia 1º de maio não é o
dia do trabalho. Não é um feriado para fazer churrasco. Não é uma lembrança da
memória do ditador Getúlio Vargas. Nem é somente o dia da morte de Ayrton
Senna. 1º de maio é Dia do Trabalhador, é dia de luta, é dia de lembrar os
mártires de Chicago e de porque eles morreram. 
Em 1º de maio de 1886 os
trabalhadores de Chicago, nos Estados Unidos, iniciaram uma greve geral por
direitos que hoje compõem a base das leis trabalhistas da maioria dos países.
Eles reivindicavam principalmente a jornada de oito horas, numa época em que
mulheres, homens e crianças chegavam a trabalhar 16 horas por dia. Durante uma
manifestação em 4 de maio, provocadores a serviço dos patrões atiraram uma
bomba que matou uma pessoa e feriu várias. Imediatamente a polícia iniciou uma
repressão violenta que provocou mais mortes. Após o comício, lideranças dos
trabalhadores foram caçadas e presas e quatro grevistas foram acusados
injustamente pelos acontecimentos e enforcados meses depois. São os mártires de
Chicago, Parsons, Spies, Engel e Fisher que precisam ser lembrados hoje, porque
até hoje os direitos dos trabalhadores são desrespeitados em todo o mundo e o
direito dos trabalhadores de se manifestar por direitos está em sério risco
aqui mesmo no Brasil. 
É dia de reafirmar que
nós, jornalistas, somos trabalhadores e precisamos lutar pelos nossos direitos
com as armas da classe trabalhadora, como já demonstramos ano passado com a
vitoriosa greve dos trabalhadores da RBA, Diário do Pará e Diário Online. Chega
de jornadas extenuantes, salários indignos, chega de grevistas demitidos. A
#Chapa2 reafirma: 1º de maio é dia de luta. 
E Sindicato é pra
lutar!”
Leiam
o plano de gestão da chapa aqui.
Vejam
quem são os integrantes da chapa aqui.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *