0

Um prédio histórico no bairro da Campina, centro comercial de Belém, incendiou na tarde desta quarta-feira, 13, no Boulevard Castilhos França. O Corpo de Bombeiros Militar do Pará está debelando o fogo.

No local funcionava uma loja de peças de celular e uma oficina de assistência técnica de aparelhos, além de servir de moradia a cinco famílias. A Defesa Civil da Prefeitura de Belém informou que assim que o trabalho dos bombeiros terminar será feito o levantamento da estrutura do prédio e abrigadas as pessoas atingidas.

O secretário de Cidadania, Igor Normando, foi até o local do sinistro e disponibilizou a estrutura das Usinas de Paz para abrigar as pessoas que moravam no local.

A Defesa Civil vai vistoriar o casarão a fim de apurar as questões estruturais e fazer o relatório para encaminhar os desabrigados para a Funpapa providenciar apoio social.

Para dar suporte ao trabalho dos Bombeiros , a Prefeitura designou guarnições da SEMOB e da Guarda Municipal. O prefeito Edmilson Rodrigues lamentou a perda do patrimônio histórico da cidade.

“É uma tristeza ver um prédio de importância histórica no centro de Belém ser consumido pelo fogo; coube a nós chamar os órgãos da Prefeitura, especialmente a Defesa Civil, a Secretaria de Urbanismo, a Guarda Municipal e uma série de outros servidores para conversar com os proprietários e ajudar as demais autoridades a resolver, ou pelo menos mitigar, os problemas causados pelo incêndio. Vamos dar todo o apoio para que possamos reverter esse quadro e, ao mesmo tempo, tentar impedir que se tenha uma perda total de um prédio tão importante no centro. Ao mesmo tempo, preservar vidas, o que é mais importante para nós, vidas humanas valem muito”, destacou o prefeito.

Segundo relatos da caixa da loja de celular, que não quis se identificar, o fogo teria começado por volta das 15h e só foi percebido pelos trabalhadores quando já estava avançado.

Às 17h, o teto do terceiro andar veio abaixo, mesmo com cinco carros de bombeiros trabalhando no local.

Às 19h30, o fogo ainda não dava sinais de diminuir, apesar da quantidade de homens trabalhando e da chuva que caiu no fim da tarde.

Bispo e padres do Marajó pedem ao núncio que Dom Azcona fique

Anterior

Música, teatro e dança no teatro Margarida Schivasappa

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *