Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

Mais juízes para o TJ-PA

O TJE-PA vai enviar à Alepa projeto de lei criando um cargo de juiz titular da Comarca de Belém e 14 cargos de juiz auxiliar de 3ª Entrância, além de  transformar oito cargos de juiz auxiliar da Capital (criados pela Lei nº 8.099/2015) em cargos de juiz auxiliar de 3ª Entrância. 

O TJ também vai baixar Resolução regulamentando a suspensão ou prorrogação de período de vitaliciamento de magistrados, nas hipóteses de afastamento legal (com exceção de férias) por mais de 90 dias. O afastamento dos que estiverem em estágio probatório implicará a prorrogação do processo de vitaliciamento por igual período, sem alterar a ordem na lista de antiguidade, conforme deliberado pelo Conselho Nacional de Justiça. É que os juízes devem apresentar, mensalmente, às Corregedorias de Justiça do TJ, peças processuais, para análise de produtividade e demais atividades na judicatura, em avaliação semestral, quantitativa e qualitativa, para fins de vitaliciamento. 

Outra Resolução redefine competências das varas cíveis e empresariais da Comarca de Barcarena, considerando a desproporcionalidade do número de processos em tramitação nelas. A 1ª Vara vai processar e julgar, privativamente, feitos relativos à Fazenda Pública, Execução Fiscal, Órfãos, Ausentes e Interditos, e Infância e Juventude, inclusive atos infracionais. À 2ª Vara caberá processar e julgar feitos de Família, Registros Públicos, Sucessões, Falência e Recuperação Judicial, além de Acidentes de Trabalho. Por distribuição, serão as duas competentes para processar e julgar as ações de natureza cível e empresarial. Os processos de Família já em trâmite na 1ª Vara Cível, até a entrada em vigor da nova norma (cuja vigência está prevista para o prazo de 30 dias úteis após publicação no Diário de Justiça Eletrônico), permanecerão nela até o fim.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *