A empresa de ônibus Belém-Rio, que faz a linha para o distrito de Outeiro – Ilha de Caratateua, em Belém, aparentemente está falida e reduziu pela metade a sua frota, causando enorme sofrimento aos usuários do transporte coletivo. O serviço,…

A Cosanpa abriu nada menos que seiscentos buracos imensos nos bairros mais movimentados de Belém, infernizando a vida de todo mundo com engarrafamentos e causando graves riscos de acidentes, principalmente porque chove sempre, e quando as ruas alagam os buracos…

O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Juiz sentencia caso Funtelpa

O juiz Vanilson Rodrigues Fernandes, da 9ª Vara do Trabalho de Belém, proferiu sentença favorável à reclamação movida pelo Sindicato dos Jornalistas do Pará em favor do repórter cinematográfico Nelson Baptista dos Santos, da Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa). O processo trata do desvio de função. Nelson foi contratado para o extinto cargo de operador de VT, mas trabalha como repórter cinematográfico há 20 anos sem a devida remuneração. 

O assessor jurídico do Sinjor-PA, André Serrão, explicou que o pedido foi o pagamento de diferenças salariais entre a função anotada e a função efetivamente exercida.
A decisão contempla o retroativo dos últimos cinco anos. 

Ronaldo Silva, repórter cinematográfico da Funtelpa e diretor do Sinjor-PA, diz que há profissionais com quase 27 anos na Funtelpa que, por conta da extinta função de operador de VT, foi promovido a repórter cinematográfico de fato, sem a remuneração correspondente. “Os presidentes que passaram pela Fundação foram “empurrando” essa situação até hoje. E quando os colegas questionavam, eram ameaçados de demissão”, contou Ronaldo, hoje cedido para a Defensoria Pública.
O vice-presidente do Sinjor-PA e também repórter cinematográfico João Freitas frisa que a ação é de suma importância para os repórteres cinematográficos da capital e do interior do Estado: “este é o início de uma nova era no Sindicato. Vamos trabalhar mais e mais em prol de conquistas para os jornalistas, e isso inclui também os repórteres fotográficos, cinematográficos e demais profissionais de imprensa”.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *