Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Jornalista denuncia injúria racial em condomínio

O jornalista Márcio Flexa denunciou na Seccional Urbana de Marituba uma situação de injúria racial ocorrida ontem (5) na área de lazer do Condomínio Algodoal, do residencial Bella Cittá, localizado no bairro Parque Verde, município de Marituba (PA).

Gildas Marius Dassigli, estudante de Engenharia Mecânica da Universidade Federal do Pará, cidadão oriundo de Benin, país da África Ocidental, foi obrigado a se retirar da piscina onde festejava seu aniversário com amigos por um funcionário do condomínio, sob a alegação de que estava trajando camisa de algodão imprópria para o ambiente, sendo que outras pessoas estavam no local também vestindo camisa do mesmo tecido e não foram incomodadas, além da inexistência de placa informando a suposta proibição quanto ao vestuário.

Ao ser questionado, o funcionário chamou a administradora do condomínio, que acusou o estudante de agressão e inclusive acionou a Polícia Militar.

Márcio Flexa explicou que em nenhum momento o estudante estrangeiro foi agressivo. Surpreendido pala situação, ele apenas não encontrou palavras em português e começou a falar em francês, sua língua natal. O estudante é morador do condomínio há um ano e meio e o jornalista também reside lá. Ambos registraram um boletim de ocorrência policial.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *