Desde sua origem, Marabá (PA) sofre anualmente enchentes dos rios Tocantins e Itacaiúnas e a população que reside em áreas de risco fica em situação de vulnerabilidade. Todos os anos a defesa civil estadual e municipal planeja, monitora e prepara…

Em noite de gala na próxima segunda-feira, 24, às 19h, no Teatro Maria Sylvia Nunes, em Belém, o governador Helder Barbalho vai lançar o 110º Campeonato Paraense de Futebol, o Parazão Banpará 2022, com transmissão ao vivo pela TV e…

Todos os órgãos de segurança estão trabalhando de forma integrada para dar suporte à população em face da destruição do pilar central e iminente desabamento do vão da ponte do Outeiro. O Centro Integrado de Comando e Controle da Segup…

O Procurador-Geral de Justiça do Estado do Pará, César Mattar Jr., recebeu em audiência o advogado Arnaldo Jordy e uma comissão integrada por Simone Pereira, da Universidade Federal do Pará; Marcelo Alves, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e…

Interligação energética e de dados no Marajó

A Celpa inaugura amanhã a subestação de Ponta de Pedras, no arquipélago do Marajó, passando assim à segunda etapa da conexão ao Sistema Interligado Nacional através de dois circuitos de cabos subaquáticos. Com 17 quilômetros em cada circuito, os cabos conectam a nova subestação a Vila do Conde, em Barcarena.
Uma estrutura de fibra óptica responsável pela transmissão de dados permitirá que a Prodepa interligue o Marajó à rede pública de internet. São 24 pares de fibra com 10,7 mm de diâmetro total. Isso representa o transporte de dados em alta velocidade, proporcionando o alcance de taxas de transmissão da ordem de 40 Gbps. A tecnologia é inédita no Estado. A parte inicial da obra tem investimento de R$ 60 milhões, compreendendo a ampliação e construção de subestações e a construção de 36 Km de redes. A interligação via rio faz parte de um projeto maior no Marajó, cujo investimento total gira em torno de R$ 242 milhões e prevê, ainda, a construção de mais oito novas subestações e 794 Km de rede, que beneficiarão municípios como Soure, Salvaterra, Cachoeira do Arari, Santa Cruz do Arari, Anajás, Chaves, Afuá, São Sebastião da Boa Vista e Muaná. 
As usinas termelétricas que suprem essas cidades serão gradativamente desativadas. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *