Evellyn Vitória Souza Freitas nasceu no chão do banheiro do Hospital Municipal de Portel, município do arquipélago do Marajó (PA), no dia 28 de julho de 2021, por volta das 8h da manhã, prematura de 28 semanas e dois dias, pesando 1Kg e 39…

Vanete Oliveira, a jovem marajoara de 28 anos e mãe de cinco filhos que sofre há catorze anos com um tumor enorme em um dos olhos, que lhe cobre quase a metade da face, já está internada no Hospital Ophir…

Equipes da Divisão de Homicídios e da Delegacia de Repressão de Furtos e Roubos estavam monitorando há um mês o grupo criminoso que planejava roubar em torno de R$ 1 milhão no caixa eletrônico do Banpará localizado dentro do Hospital…

Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

Infância e adolescência marajoara

Está agendada para o dia 2 de fevereiro de 2018 reunião do GT da Infância e da Juventude, em articulação com o CAO Criminal do Ministério Público do Pará, a fim de fortalecer a prevenção e repressão à violência sexual contra crianças e adolescentes no Marajó, denunciada à exaustão pela Comissão Justiça e Paz da CNBB Norte II. A coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude, promotora de justiça Leane Barros Fiuza de Mello, reuniu com os promotores de justiça Guilherme Chaves Coelho (de Soure – coordenador do Pólo Marajó I), Adriana Passos Ferreira (de Ponta de Pedras), André Cavalcanti de Oliveira (de Cachoeira do Arari) e José Ilton Lima Moreira Júnior (de Salvaterra) para discutir ações estratégicas. Na ocasião, esteve presente o coordenador do CAO Criminal, promotor de justiça José Maria Costa Lima Júnior, que se propôs a atuar em parceria com o CAOIJ. 

O MP vai exigir condicionantes específicas à proteção de direitos de crianças e dos adolescentes quando da instalação de projetos econômicos na região, providências quanto aos baixos índices de registros de procedimentos policiais e de processos judiciais referentes à violência sexual contra crianças e adolescentes, o que denota a subnotificação dos casos, e, ainda, estrutura adequada à realização de exames periciais indispensáveis à comprovação de crimes de natureza sexual, bem como para escuta humanizada das vítimas. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *