O presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, foi aclamado ontem por servidores e deputados após a sessão plenária, que se estendeu até as 15h, ao entregar os espaços reformados que já estão prontos para utilização. É que, em…

O delegado de polícia de Oriximiná, Edmílson Faro, prendeu o vigia Ailton Ferreira da Silva a pedido do presidente da Câmara Municipal, vereador Marcelo Andrade Sarubi (PSDB) e do vereador Márcio Canto (PTB) e, na presença de ambos e do…

Primeira do Brasil totalmente focada na educação para o trânsito, a biblioteca do Detran-PA foi criada em 1998 e começou direcionada ao público interno, funcionando no antigo prédio do órgão, ao lado da Ceasa. Em 1º de novembro de 1999,…

A Prefeitura de Belém vai revitalizar dezesseis imóveis do município que estão há anos em situação de abandono. Além do resgate do patrimônio histórico, artístico e cultural, a intenção é reduzir gastos com aluguéis de prédios que abrigam órgãos municipais.…

Incentivos fiscais para indústrias

A Comissão de Incentivos do governo do Pará, integrada pelos titulares das secretarias da Fazenda, do Meio Ambiente, da Agricultura, da Ciência e Tecnologia, da Educação, e ainda da Companhia de Desenvolvimento, do Banco do Estado do Pará e Procuradoria Geral do Estado, presidida pelo secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Adnan Demachki, aprovou ontem incentivos para seis novas indústrias. 
Foram beneficiadas a Xingu Fruit Polpas de Frutas e a Nature Amazon Indústria, Comércio e Exportação, para atuarem na cadeia produtiva do açaí, em Castanhal, produzindo sucos e sorvetes. A Xingu tem previsão de  79 empregos no primeiro ano (128 no quinto ano) e investimento de R$32 milhões, e a Nature deve gerar  61 empregos, com investimento de R$12 milhões. Elas se juntam a outras oito já incentivadas, em Castanhal, Igarapé-Miri, Abaetetuba, Barcarena e Mocajuba. Adnan Demachki relatou que a maior do Brasil, a Frooty Açaí, levava polpa e industrializava no interior de São Paulo. Agora, está implantando sua indústria em Mocajuba e vai gerar 250 empregos. A paraense Bonny Açaí levava polpa para Itaipava, no Rio de Janeiro, e lá gerava empregos na industrialização. Agora, está se implantando em Igarapé-Miri, gerando 150 empregos. 

A Vila Nova Agroindustrial Ltda. vai refinar óleo de palma e deverá gerar 191 empregos no primeiro ano, com previsão de chegar a 249 no quinto ano de operação. O investimento, de R$182 milhões, vai processar 49 toneladas/ano de dendê e receberá 95% de isenção de impostos por quinze anos. E a Vila Nova Agroindústria fabricará óleos vegetais (bruto e refinado) a partir da palma do dendê, gerando  191 empregos no primeiro ano (249 no quinto ano), num investimento de R$182 milhões. Ambas estão em implantação em Tomé-Açu.

A WM Agroindústria Ltda, em implantação em Moju, produzirá óleo de palma, palmito e torta a partir do dendê, com  161 empregos no primeiro ano, num investimento de R$29 milhões. Já a Marborges Agroindustrial Ltda., também em Moju, está ampliando em 50% a produção de óleo de palma bruto e refinado e gorduras vegetais, gerando 417 empregos, com investimento de R$12 milhões. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *