O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Incentivos fiscais à cadeia do açaí

Foto: Antonio Silva
Hoje de manhã o governador Simão Jatene assinou um decreto que concede incentivos específicos à cadeia produtiva do açaí. Também foram assinados protocolos de intenções pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia e quatro empresas que beneficiam açaí, a fim de oficializar o compromisso de verticalizar a produção. As empresas beneficiadas são a Amazon Wonderfoods e a Argus, que estão se instalando em território paraense para beneficiar a polpa de açaí, produzindo sorvete, energético e até açaí em pó; e a Bela Iaça Polpas de Frutas, Indústria e Comércio Ltda. e a Polpas São Pedro, que já atuam no Pará com produção de polpa e vão ampliar suas linhas de produção.

Se simplesmente pegar o açaí, tirar a polpa e exportar, isso gera menos emprego do que se beneficiar o açaí no próprio Estado, e já exportar alguns produtos derivados do fruto. É isso que nós estamos tentando fazer em vários campos”, declarou o governador, enfatizando a necessidade de manter estratégias de atração de negócios, e explicando que a concessão de incentivos pode parecer, de imediato, que o Estado está abrindo mão de recursos financeiros, mas significa mais emprego, mais renda e mais impostos. 

Os incentivos fiscais são só para empresas que verticalizem a produção do açaí, investindo na industrialização e ampliação da linha de produtos a partir da polpa do fruto. “Nós precisamos transformar a indústria da polpa do açaí, que temos hoje no Pará, na indústria verticalizada do açaí. Precisamos fazer com que o fruto, que tem a cara do Pará, gere emprego e renda para o Estado”, ressaltou o secretário de Estado Adnan Demachki. 
O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Márcio Miranda, acentuou “a coragem e ousadia do governo”, ao incentivar investimentos em uma época de séria recessão econômica no País. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *