Hoje a Assembleia Legislativa do Pará retomou seus trabalhos no segundo período legislativo do terceiro ano da da 19ª Legislatura, de forma totalmente presencial, apesar da reforma do prédio sede do Palácio Cabanagem e do próprio plenário Newton Miranda. Após…

Em visita oficial, a Academia Paraense de Jornalismo e a Comissão de Defesa do Patrimônio Histórico do Instituto Histórico e Geográfico do Pará pediu ao prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, o veto à alteração dos nomes da Rua da Municipalidade…

O IV Distrito Naval da Marinha do Brasil, em parceria com o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), Praticagem da Barra do Pará, Sociedade Amigos da Marinha Pará, Secretarias de Saúde de Barcarena e do Estado do Pará, Tribunal…

Guy Veloso, filho do saudoso jurista, notário e político Zeno Veloso, plantou em sua memória um pé de baobá na Universidade Federal do Pará, onde o ilustre parauara se destacou como professor de direito civil e direito constitucional, formando gerações…

Inaz atuava de “A” a “Z” em Curralinho

Acolhendo os argumentos e os documentos juntados pela promotora de justiça Ociralva Tabosa, o juiz Cornélio José Holanda suspendeu o concurso público da prefeitura de Curralinho. É que a empresa Inaz do Pará, contratada para a realização do certame – vejam só! -, atua nos mais diversos ramos, da venda de artigos de papelaria, cosméticos, material cirúrgico e equipamentos de
uso doméstico à realização de feiras e congressos, passando por locação de
automóveis, limpeza de prédios e fornecimento de alimentação, ufa!, inexistindo,
entretanto, como observa o magistrado em sua decisão liminar, “entre tantas e tão díspares atuações, a realização de concursos públicos“. O juiz mandou intimar o prefeito José Leonaldo dos Santos Arruda(PT) e a
 empresa faz-tudo, a fim de que no prazo de cinco dias prestem ao Juízo as informações
solicitadas,
sob pena de responsabilidade pessoal do gestor
municipal e dos representantes legais da empresa.

Interessante que o magistrado determinou que fosse oficiado à rádio comunitária de Curralinho solicitando a divulgação da medida. Certíssimo. Trata-se de concessão pública que deve ser utilizada em benefício da cidadania e que é, por sinal, pouquíssimo aproveitada pelo poder público.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *