0

A Secretaria de Estado de Saúde Pública mantém uma logística integrada por céu, água e terra para que as vacinas percorram os trajetos mais longínquos dentro de um prazo que mantenha a segurança e efetividade das doses a todos os 144 municípios do Pará. Os imunizantes chegam de avião, no Aeroporto Internacional de Belém e seguem para o Centro Estadual Imunológico (CEI), onde são feitas a checagem e separação para cada regional. Após esse processo é determinada a rota que as vacinas vão percorrer, pelo ar, rio ou estrada, até chegar ao destino, nos municípios.

O secretário adjunto de Políticas de Saúde da Sespa, Sipriano Ferraz Júnior, fiscaliza tudo pessoalmente, o que faz toda a diferença. “Apesar das nossas distâncias territoriais e de condições logísticas complicadas, o Pará tem como marca registrada ser o Estado que mais rápido faz a distribuição de vacinas aos munícipios”. O médico explica que a aplicação da vacina, assim como a organização da campanha de imunização, é de responsabilidade dos municípios, bem como o preenchimento das informações no sistema do Ministério da Saúde.

“A Sespa disponibiliza as doses, entregues pelo Ministério da Saúde, em tempo hábil para uso nos municípios e não há risco de perder os insumos por vencimento. Além de treinar as equipes municipais, a Sespa também promove campanhas de mobilização, combate às fake news e orienta as secretarias municipais a melhorarem suas estratégias de vacinação”, destaca a secretária de Saúde, Ivete Vaz.

Confiram quais são os imunizantes que fazem parte do Programa Nacional de Imunizações (PNI), oferecidas nos postos de saúde gratuitamente: BCG; Hepatite B; DTP+Hib+HB (Pentavalente); Poliomielite; Pneumocócica 10 valente (Pncc 10); Rotavírus humano G1P1 (VRH); Meningocócica C; Febre amarela; Difteria, tétano, pertussis (DTP); Sarampo, caxumba, rubéola (SCR); Sarampo, caxumba, rubéola, varicela (SCRV) Hepatite A; Varicela; Difteria, tétano (dT); Papilomavírus humano (HPV); Pneumocócica 23-valente (Pncc 23); Meningocócica ACWY; Difteria, tétano e pertussis acelular (dTpa); Influenza; e Covid-19.

Uma história leva à outra, n° 7

Anterior

Análise de alguns aspectos da lei 14688/2023

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *