Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Aprovado à unanimidade pela Assembleia Legislativa, o projeto de lei nº 245/2021, de autoria do Poder Executivo, dispondo sobre a denominação do Arquivo Público do Estado do Pará, em homenagem ao jurista e professor paraense Zeno Augusto de Bastos Veloso,…

Ibope sinaliza indefinição no Pará

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Pará contratou o Ibope, pagando R$ 77 mil, para pesquisa eleitoral realizada entre os últimos dias 3 e 9 de fevereiro (registro no TRE nº PA-07845/2018 e nº BR-01042/2018 no TSE), divulgada com exclusividade pelo Diário do Pará. O resultado confirma que a situação está indefinida. E como estamos a oito meses das eleições e muita coisa depende da desincompatibilização – ou não -, até o dia 7 de abril, do governador Simão Jatene, e também dos desdobramentos da Operação Lava Jato, a única evidência forte é a de que o eleitor quer algo diferente. Para o Governo do Estado, em todas as projeções, o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho(MDB), lidera as intenções de voto, mas só tem 7% a mais do que a soma de brancos, nulos e indecisos. E, pela margem de erro, brancos e nulos chegam a 35 e Helder a 33.

Em um cenário, Helder tem 36%, o senador Paulo Rocha (PT) 14%, o prefeito de Belém Zenaldo Coutinho (PSDB) 9%, a jornalista Úrsula Vidal(Rede) 7%, o deputado estadual Sidney Rosa (PSB) 4% e o sindicalista Charles Alcântara (sem partido) aparece com 1%. Votos em branco ou nulos seriam 19%, e 10% os indecisos ou que preferem não responder.

Em outro cenário, Helder tem 36%, Paulo Rocha 15%, o prefeito de Ananindeua Manoel Pioneiro(PSDB) e Úrsula Vidal empatam com 8%; Sidney Rosa 4%; e Charles Alcântara, 2%. Brancos e nulos 19% e 8% indecisos. 


Um terceiro cenário traz Helder com 36%, Paulo Rocha 17%, Úrsula Vidal 8%, o presidente da Alepa, deputado Márcio Miranda(DEM), 6%; Sidney Rosa 5% e Charles Alcântara, 2%. Brancos e nulos seriam 19% e 8% não sabem ou não quiseram responder. 


Como se observa, nenhum dos pré-candidatos tem o que festejar. Na consulta espontânea, 77% dos eleitores não sabem indicar um nome ou preferem nem opinar, e 12% declaram que pretendem votar em branco ou anular o voto. Isto é revelador de uma certa apatia que poderá desaguar em grande surpresa nas urnas.


Entre os mencionados espontaneamente, dos que estão no páreo Helder (5%) e Márcio Miranda (1%) foram os mais lembrados por votantes, enquanto outros citados com menos de 1% representam 2% das menções, polarização já desenhada pelas redes sociais. 


Metade dos entrevistados acredita que Helder Barbalho será eleito em 2018. Já os eleitores que não sabem ou não responderam a esse item da pesquisa representam 28%, o que reforça a indefinição.


Paulo Rocha e Helder Barbalho estão empatados na mais alta rejeição, com 27% cada um (Zenaldo Coutinho, com 37%, já declarou que não se candidatará); 25% não votariam em Manoel Pioneiro e 22% não votariam em Úrsula Vidal.
Sidney Rosa tem 21% de rejeição, Charles Alcântara 20%, e Márcio Miranda, 19%. 



Para o Senado Federal, lideram Jader Barbalho (MDB), com 30%, e Simão Jatene (PSDB), com 27%, um empate técnico.
Foram citados também Mário Couto (PP), com 16%; Zé Geraldo(PT), 15%; Úrsula Vidal, 12%; Márcio Miranda, com 10%;  Lúcio Vale (PR) e o vice-governador Zequinha Marinho (PSC) com 9%; o senador Flexa Ribeiro (PSDB) e Marinor Brito com 8%; Sidney Rosa 7%; e Jarbas Vasconcelos (sem partido), 4%. Mas brancos/nulos totalizam 19%, os indecisos são 16% e aqueles que citam apenas um candidato são 10%. 



Helder Barbalho tinha 49% de votos válidos no segundo turno em 2014, e caiu para 36% de intenções. Paulo Rocha será afetado em muito conforme o destino de Lula. Em 4/7/2017, pesquisa do Instituto Paraná, divulgada pela TV Record, apontava a liderança de Helder Barbalho com 34,4% das intenções de votos. A segunda colocada, Ana Júlia Carepa (na época PT), tinha 15,3%, Úrsula Vidal 10,5%, Márcio Miranda 7,2%, Sidney Rosa 6,5% e Marinor Brito 5,8%. E 14,7% não votariam em nenhum dos nomes e 5,5% não sabiam em quem votar. Há meses, a ex-governadora já anunciou que não será candidata ao governo e até se mudou para o PCdoB, pelo qual disputará vaga de deputada federal.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *