Os dirigentes do Sindicato e da Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa festejaram o resultado da reunião de hoje com o presidente da Alepa, deputado Chicão, que também convidou para o encontro o Chefe de Gabinete da Presidência, Reginaldo Marques…

A Administração Superior do Ministério Público do Pará está empenhada em fortalecer a atuação dos promotores de justiça no arquipélago do Marajó, onde a situação de extrema pobreza, agravada pela pandemia, perpetua crimes gravíssimos como os abusos e exploração sexual…

“A Prefeitura de Belém, por meio da Comissão de Defesa Civil de Belém, informa que realizou vistoria técnica no bloco B do imóvel localizado na avenida Presidente Vargas, 762, no dia 11 de fevereiro, às 9h, em conjunto com representantes…

DEM e PSL ainda nem consumaram a fusão, prevista para outubro deste ano, mas a briga já é de foice. O ex-presidente do Senado Davi Alcolumbre e o ex-prefeito de Salvador ACM Neto duelam nos bastidores pelo comando do novo…

Hospital de Clínicas sem remédios

Há três meses o Hospital de Clínicas Gaspar Vianna não dispõe do medicamento Geodon, de 40 mg, considerado de importância fundamental para o tratamento dos pacientes com transtornos mentais. O remédio é caro, cada caixa custa quase R$400 e a venda direta não é permitida. Na farmácia do hospital a informação é que há três meses a Sespa não repassa o medicamento, assim como mais dez remédios que estão em falta.  A situação é gravíssima, até porque o Hospital de Clínicas é referência em todo o Pará (o único) em saúde mental. Na Sespa, os familiares dos pacientes ouvem desde janeiro a mesma ladainha: a compra está prevista para o próximo mês. 

Solicitei ontem à tarde esclarecimentos à Sespa e ao HC. Ontem mesmo recebi esta informação, via assessoria de comunicação: 

Sobre o medicamento Geodon, 40 mg, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) informa que o processo para o pedido de compra já foi empenhado, e o prazo para a entrega deve ocorrer no máximo até quinze dias.” 

E hoje de manhã: 
A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) informa que houve atraso na distribuição do medicamento Geodon, 40 mg, por parte do fornecedor Expressa, que garantiu a entrega até o dia 06 de abril (próxima semana). A Secretaria também ressalta que há estoque do medicamento ziprazidona, na dosagem de 80mg, que permite a adequação da prescrição médica para o paciente, no próprio Hospital de Clinicas Gaspar Vianna.
A Sespa ainda esclarece, portanto, que já notificou a empresa sobre a necessidade do fornecimento dos medicamentos. Assim que chegar, imediatamente serão abastecidas todas as unidades dispensadoras.”  

Do Hospital de Clínicas Gaspar Vianna, agora à tarde:
“Atualmente a Psiquiatria deste hospital tem 35 vagas para pacientes usuários de Zipranidona 40 mg (Geodon), com apenas uma dessas vagas sobrando. O medicamento é de alto custo, não sendo permitida a compra direta, o que é feito via Sespa. O último pedido do medicamento foi feito no dia 26/03/14, estando ainda no aguardo.”

Ficou evidente que o setor responsável não se incomodou em providenciar em tempo hábil a entrega do remédio, que é de uso contínuo. E o sofrimento dos pacientes? Isso é desumano.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *