Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

Em 17 de dezembro de 1999, a Assembleia Geral das Nações Unidas designou o 25 de novembro Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher. Passados 22 anos, os dados do 14° Anuário Brasileiro de Segurança Pública são aterrorizantes: por…

Grupo Móvel contra Trabalho Escravo sofre ataque a bala

A Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), entidade de classe que congrega os membros do Ministério Público do Trabalho de todo o Brasil, enviou ao blog nota de repúdio e indignação pelo ataque perpetrado contra integrantes de grupo móvel de trabalho escravo, composto pelo procurador do Trabalho Raphael Fábio Cavalcanti dos Anjos, auditores fiscais do Trabalho e policiais rodoviários federais, durante operação de combate a trabalho escravo no município de São Felix do Xingu – PA. 

Relata que ontem, 18, o grupo móvel se deparou em São Félix do Xingu com seis trabalhadores que informaram que tinham acabado de ser agredidos, ameaçados e expulsos da fazenda em que trabalhavam, por sete homens encapuzados e armados. 

Após a adoção de medidas de segurança com relação aos trabalhadores, o grupo, no deslocamento para a fazenda denunciada, interceptou a caminhonete em que estavam os agressores, que iniciaram tiroteio visando atingir o comboio, com resposta imediata dos policiais rodoviários federais. Logo após, os agressores fugiram, abandonando o veículo e armas, além de documentos e dinheiro, tudo apreendido pela autoridade policial. 

Trata-se de situação gravíssima, inadmissível em um Estado Democrático de Direito, que precisa ser imediatamente apurada, com a devida punição aos responsáveis.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *