Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Aprovado à unanimidade pela Assembleia Legislativa, o projeto de lei nº 245/2021, de autoria do Poder Executivo, dispondo sobre a denominação do Arquivo Público do Estado do Pará, em homenagem ao jurista e professor paraense Zeno Augusto de Bastos Veloso,…

Grupo Cyrela condenado pelo TRT8

O Grupo Cyrela, formado pela Cyrela Brasil Realty, Cyrela Moinho Empreendimentos Imobiliários e Seller Consultoria Imobiliária, foi condenado pelo TRT8 a pagar R$ 1 milhão em danos morais coletivos por fraudar relação de emprego de corretores. O valor será destinado ao FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) ou a alguma entidade sem fins lucrativos indicada pelo Ministério Público do Trabalho no PA/AP. Também deverá assinar as carteiras de trabalho dos corretores submetidos ao regime de subordinação, e pagar benefícios trabalhistas como salário mínimo e hora extra, entre outros.

Após receber denúncias, o MPT inspecionou o estandes de vendas do “Parque Jardins”, “Mirage Bay” e “Mirai”, onde constatou a veracidade dos fatos. Em fiscalização da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE/PA), foram ouvidos vários corretores. 

Em ação civil pública o MPT acusou o grupo Cyrela de utilizar falsos contratos de parceria para mascarar a relação de emprego. A construtora criou a Seller Consultoria Imobiliária para trabalhar a venda de seus empreendimentos. Os corretores que lá trabalhavam não tinham vínculo direto, porém executavam suas atividades com subordinação e jornada de trabalho fixada por meio de prazos, metas e punições. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *