Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

Greve de servidores paralisa Oriximiná

 Fotos: Sindicato dos Servidores Públicos de Oriximiná
A coisa está feia em Oriximiná. Todos os servidores públicos municipais estão em greve, desde ontem pela manhã, por causa do não pagamento de mais uma parcela de 6%, dos 18% combinados de reposição à categoria. É que o prefeito Luiz Gonzaga Viana(SDD) assinou um Termo de Ajustamento de Conduta perante o Ministério Público se comprometendo a pagar os 18% pedidos pelos servidores, em 3 parcelas de 6%, além de outras reivindicações, como melhoria na qualidade das condições de trabalho. A primeira parcela atrasou, mas saiu. Na segunda, o  prefeito argumentou que no TAC havia a condição que ele só pagaria se a arrecadação da prefeitura fosse de R$13 milhões por mês, que nesse mês fora de “apenas” R$12,60 milhões e que não podia pagar. E também não cumpriu os outros pedidos da categoria. Aí, o caldo entornou. Em assembléia geral, quarta-feira, foi decidida a greve. 

O Hospital Municipal também está paralisado. Os profissionais da área se queixam de que a situação é tão precária que são obrigados a fazer “vaquinha” para comprar comida para os pacientes e para os que ficam de plantão. A saúde é municipalizada, mas a prefeitura não investe, apenas encaminha os doentes para Santarém. E olhem que Oriximiná é município minerador e recebe royalties pela lavra de bauxita pela Mineração Rio do Norte, além do ISS pelas outras empresas instaladas em seu território.

Vejam nas fotos os protestos pelas ruas da cidade, exigindo que a prefeitura cumpra o acordo firmado com o sindicato da categoria pela melhoria no
serviço público municipal.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *