Para marcar os quinze anos de criação das Florestas Estaduais de Faro, Trombetas e Paru, da Estação Ecológica Grão-Pará e da Reserva Biológica Maicuru, na Calha Norte, hoje (4), o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) lançou…

Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Feliz 2016!

Todo
final de ano é a mesma coisa: as pessoas se afligem porque precisam ser – ou
parecer – felizes. Vão sofregamente às compras, infernizam o trânsito,  gastam mais do que ganham. E não aproveitam
para simplesmente reunir a família, com simplicidade e primando pela alegria da
presença afetuosa, ter tempo para conversar, brincar, rir, abraçar e beijar.
Entopem as caixas dos aplicativos e as redes sociais de mensagens de
fraternidade, muitas lindas e verdadeiras, mas se esquecem de abrir de fato o
coração para os que às vezes estão tão perto mas também tão longe, tais como
aquele vizinho, colega de trabalho ou até membro da família visto com
antipatia. Discursam sobre cidadania mas ocupam vagas de idosos e de portadores
de deficiência nos estacionamentos, furam as filas preferenciais e outras
selvagerias.
Que
tal relaxar e ser feliz sem se impor – e aos outros – tantas condições? Olhar
de verdade para a família, enxergar beleza e poesia em tudo o que nos cerca?
Ser grato pela vida, a própria e a dos que amamos. No fundo, só precisamos de
amor, tolerância e saúde para viver e construir um mundo melhor. Um mundo que
não seja tão díspare, injusto e violento. Um mundo possível, sim, que contemple
a dignidade humana. E que nos faça sonhar com a paz que tanto almejamos,
resgatando da invisibilidade milhões de famílias que sobrevivem à margem da
sociedade.





A todos, muitas bênçãos no ano novo!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *