Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Aprovado à unanimidade pela Assembleia Legislativa, o projeto de lei nº 245/2021, de autoria do Poder Executivo, dispondo sobre a denominação do Arquivo Público do Estado do Pará, em homenagem ao jurista e professor paraense Zeno Augusto de Bastos Veloso,…

Falta de segurança na praça


A prefeitura está na reta final da revitalização da Praça da República, que deve ser inaugurada na quinta-feira, dia 5. Mas a obra ainda nem ficou pronta e já sofreu várias ações de vandalismo. A mais recente foi o furto de 16 projetores LED subaquático, que iluminavam a Fonte das Sereias. A iluminação, que ganhou projeto exclusivo, para dar maior destaque ao monumento, custou R$20 mil. 

É mais uma prova de que a Guarda Municipal e a PM precisam efetivamente policiar os logradouros públicos. Ninguém pode andar nas praças e ruas, o risco de ser vítima de assalto e até de morte é altíssimo. Trata-se de questão de cidadania, que não temos. 

Na Praça da República há cerca de cem viventes que perambulam lá. São moradores de rua, traficantes e drogaditos, além dos assaltantes que diariamente violentam as pessoas que desavisadamente caminham na área. Algumas vítimas são abordadas a certa distância e levadas para os bancos da praça para entregar seu pertences, sob ameaça de facas e revólveres. Todo mundo sabe, todo mundo vê, mas ninguém faz algo. Por que? 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *