O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Chicão, convocou e empossou Torrinho Torres, primeiro suplente do Podemos, na vaga do deputado Igor Normando, que está licenciado para exercer o cargo de secretário de Estado de Articulação da Cidadania. O novo parlamentar…

Reconhecimento máximo da Associação Paulista de Críticos de Artes a obras de Literatura, Música popular, Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Rádio, Teatro, Teatro Infantojuvenil e Televisão, o Prêmio IPCA, anunciado na segunda-feira, 6/2, contemplou o livro de contos “Eu já…

A sesquicentenária samaumeira que perdeu seus galhos na madrugada desta segunda-feira (6) é memória afetiva de todos os paraenses e até de gente de fora do Pará e do Brasil que frequenta Belém durante o Círio de Nazaré. Localizada em…

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Empregado da BBF baleado e queimado durante invasão

A violência recrudesceu na área da empresa Brasil BioFuels (BBF) em Tomé-Açu, nordeste do Pará, entre a tarde de terça e a madrugada desta quarta-feira (27).  Um grupo de indígenas Tembé invadiu a propriedade e, em meio ao confronto, um empregado da BBF foi agredido, baleado no pé e, ao cair no chão, sofreu requintes de perversidade: os invasores jogaram combustível e atearam fogo em seu corpo, sem que tivesse chance de se defender. O trabalhador, de 30 anos de idade, identificado apenas com as iniciais A.P.S, foi socorrido pelos colegas e encaminhado ao hospital de Quatro Bocas, distrito de Tomé-Açu, eseu estado é grave, com 60% do corpo com queimadura de segundo grau e já foi transferido de táxi aéreo para o Hospital Adventista de Belém.

A empresa já havia registrado boletim de ocorrência no dia 24 dezembro, na delegacia da Polícia Civil de Quatro Bocas, relatando a informação que circulou entre as comunidades de que o grupo criminoso iria invadir também a nova fazenda da BBF, chamada Nippaki.

Nos últimos 15 dias houve duas invasões de fazendas da BBF na região (Marrocos e Chinomya), além de seu polo de Tomé-Açu, onde trabalham mais de 1.100 funcionários da empresa. Neste último episódio, que aconteceu no dia 23 de dezembro, os invasores entraram armados pela portaria em caminhonetes, pequenas picapes e outros veículos menores, com cerca de dez pessoas em cada (5 na parte interna e 5 na carroceria traseira). Os criminosos incendiaram pneus e ameaçaram trabalhadores da empresa, que, assustados, saíram rapidamente da agrovila.

No dia 20 de dezembro, a BBF registrou em boletim de ocorrência (número 00481/2022.102467-8, delegacia de Quatro Bocas) a ameaça feita pelos líderes Paratê Tembé e Lúcio Tembé, de que iriam invadir a sede da empresa. No momento da ameaça, os indígenas tinham acabado de concluir a invasão na fazenda Marrocos.

A BBF afirma que dezenas de ofícios já foram enviados aos órgãos municipais, estaduais e federais para que possam intervir e solucionar o caso. A nova invasão reforça o clima de terror em que vivem os moradores e trabalhadores de Tomé Açu, que temem pelos seus empregos e pelas suas vidas.

Em Tomé-Açu e no Acará a multinacional de dendê sustenta que já registrou mais de setecentas ocorrências policiais e que o grupo de invasores se aproveita do status de indígena e quilombola para praticar crimes impunemente.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *