0

O desembargador Leonam Gondim da Cruz Júnior se emocionou às lágrimas ao tomar posse na presidência do Tribunal Regional Eleitoral, evocando a memória de seu pai, de quem herdou também o nome completo. Muito aplaudido, ele mereceu de todas as autoridades e da plateia que superlotava o plenário Antonio Koury o reconhecimento por sua conduta honrada e humana, paixão pelo Direito, pela Justiça e pela Literatura. Ao lado do desembargador José Maria Teixeira do Rosário, vice-presidente e corregedor, comandará o TRE do Pará no biênio 2023-2024.

O amor filial do desembargador comoveu a todos, porquanto Leonam Gondim da Cruz foi um advogado que atuou com destaque nas várias áreas do Direito, inclusive no Júri, desde as comarcas do interior do Pará até perante o Supremo Tribunal Federal. Conselheiro estadual e federal da OAB por diversos mandatos, presidiu a Comissão de Ética e Disciplina e foi o primeiro diretor do jornal O Advogado, além de primeiro reitor da Escola Superior de Advocacia. Defensor incansável dos direitos humanos, mobilizou entidades de todo o planeta até obter a declaração de inocência e libertação do santareno Sebastião Hoyos, preso injustamente na Suíça. Contista, poeta, orador, conferencista e jornalista, o pai do desembargador, um dos intelectuais mais brilhantes do Pará, respeitado e admirado por todos, foi membro da Academia Paraense de Letras, da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense Literária Interiorana, da Associação Paraense de Escritores e da Ordem Internacional de Ciências.

“Minha mãe sempre dizia que quem cuida da semente tem sempre boa colheita. A semente aqui foi plantada pelo meu pai que integrou esta Corte Eleitoral por oito anos, representando a nossa querida OAB, na qualidade de jurista. Por isso, este momento para mim é inexplicável. Estar presidindo o tribunal do qual meu amadíssimo pai fez parte é algo que ficará marcado para o resto da minha vida”, pontuou o novo presidente, que, seguindo os passos de seu pai, declaradamente seu herói, é também escritor, poeta, ensaísta, contista e fabulista, com diversos livros publicados, e membro da Academia Paraense de Letras.

Em sua despedida, a desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento saudou os novos dirigentes e fez questão de destacar e agradecer o trabalho do quadro técnico do TRE. O juiz eleitoral Edmar Pereira, orador oficial da solenidade, relembrou a trajetória do desembargador Leonam Cruz Jr. desde a infância até chegar à presidência do Tribunal, inclusive suas façanhas futebolísticas que o fizeram conhecido como “Leonam Maravilha”.

O procurador regional eleitoral, José Augusto Potiguar, tocou em pontos fundamentais ao enfatizar o pioneirismo da desembargadora Luzia Nadja, que percorreu todo o território paraense verificando as condições de cada comarca, de modo a garantir a lisura do pleito e o exercício pleno da cidadania. “A Justiça Eleitoral precisa estar onde a comunidade está e esse é o perfil do novo presidente, inclusive como escritor, assim como a presença da serenidade, fortaleza e honestidade, essenciais para presidir esta Corte Eleitoral”, asseverou.

O presidente da OAB-PA, Eduardo Imbiriba, usou a tribuna e fez um vigoroso pronunciamento em favor da Democracia. A vice-presidente, Luciana Gluck Paul; o presidente do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB-PA, Diogo Condurú; e o membro honorário vitalício e conselheiro federal, Alberto Campos, também prestigiaram a posse. Era um momento de celebração para os advogados. O desembargador Leonam Gondim da Cruz Jr. é oriundo do Quinto Constitucional da OAB-PA.

Leonam Cruz deixou clara a importância da mulher para a política no país, e o dever que a Justiça Eleitoral tem de garantir o direito à representação feminina, combatendo e punindo as fraudes e a violência política que atinge principalmente as mulheres que se candidatam. Seu pronunciamento foi uma verdadeira ode aos direitos fundamentais, à justiça e à paz. Ao saudar a ex-governadora Ana Júlia Carepa, lembrou o gesto paterno de libertar sindicalistas de cárcere privado no Sindicato dos Bancários, na época presidido por Carlos Levy, e que foi alçado ao desembargo quando ela era a governante. Quebrando o protocolo, como é seu estilo, o presidente do TRE-PA fez menção especial ao desembargador Mílton Nobre, e à falta que ele faz no TJPA, bem como o desembargador Ronaldo Valle, por terem se aposentado. Ambos estavam presentes. Leonam também mencionou de modo especial o desembargador Romulo Nunes, salientando que se inspira nele, e fez questão de cumprimentar magistrados e magistradas que estavam na cerimônia. Ao encerrar o discurso, ele leu um poema em homenagem a seu pai, enternecendo a todos, principalmente o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Chicão, que perdeu a mãe recentemente.

A mesa oficial foi composta pelos juízes membros da Corte Eleitoral; procurador regional eleitoral, José Augusto Potiguar; governadora em exercício, Hanna Ghassan Tuma; desembargador Romulo Nunes, decano e presidente em exercício do Tribunal de Justiça do Pará; presidente da Alepa, deputado Chicão; prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues; conselheira Lourdes Lima, presidente do Tribunal de Contas do Estado do Pará; conselheira Rosa Egídia Crispino Calheiros Lopes, presidente eleita do TCE-PA; subprocuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Pará, Ubiragilda Pimentel, representando o procurador-geral de Justiça, César Mattar Jr.; presidente da OAB-PA, Eduardo Imbiriba de Castro; Comandante Militar do Norte, general de Exército Ricardo Ferreira Costa Neves; e Edy Lamar de Oliveira, presidente da Associação dos Escritores e Jornalistas do Brasil e membro da Academia Paraense de Letras.

Lula troca comando do Exército

Anterior

Destituída a Diretoria da Unimed Belém com nomeação de Direx interina

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *