A igreja de São Francisco de Assis em Belém do Pará, carinhosamente chamada pelos fiéis de "Capuchinhos", completará cem anos de sua inauguração em 02 de outubro de 2022. A abertura oficial das festividades será com um concerto na igreja…

O trânsito continua matando mais do que muitas guerras. A administradora Gina Barbosa Calzavara, coordenadora dos bosquinhos da Universidade Federal do Pará, fez uma emocionante homenagem à memória do jovem Jean Serique Lameira, esportista do ciclismo e que também usava…

O Laboratório de Engenharia Biológica do Parque de Ciência e Tecnologia - PCT Guamá está estudando o sequenciamento genético do açaí, de modo a assegurar a rastreabilidade de ponta a ponta na cadeia produtiva e padrões de qualidade para os…

A Lei estadual nº 9.278/2021, que entrou em vigor em 30 de junho deste ano, instituindo a obrigação de que pessoas residentes em condomínios, conjuntos habitacionais e similares comuniquem à Polícia Civil, de forma imediata, qualquer tipo de agressão praticada…

Em Quatipuru 618 estudantes sem aula

FOTO: OZEAS SANTOS
Alunos e professores da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio João Paulo I, a única do distrito de Boa Vista, município de Quatipuru, protestaram nas galerias da Assembleia Legislativa do Pará, hoje. Há exatamente um ano a escola foi interditada por causa da erosão na estrutura do prédio, que fica às margens de um rio. Parte do muro de contenção desabou, em dia de maré alta, e desde então está fechada. 

Por conta dessa situação, 618 crianças e adolescentes perderam o ano escolar em 2016 e este ano correm o mesmo risco, como o próprio prefeito local, professor Luís Souza, relatou. A única escola na cidade sede de Quatipuru está sobrecarregada, com turmas de 60 alunos, o que contraria todas as recomendações pedagógicas. 

A Secretaria de Educação do Estado (Seduc) chegou a enviar técnicos para a localidade, a fim de avaliar os estragos e propor soluções. Chegou a ser iniciada a construção de uma nova escola estadual, padrão MEC, com 12 salas de aula, mas até agora, conforme o prefeito, a obra não avançou.

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Alepa, deputado Raimundo Santos, ouviu as queixas dos alunos e professores e de imediato apresentou uma moção ao governo do Estado, cobrando as medidas necessárias. É preciso urgentemente socorrer os alunos. Leiam a íntegra da moção aí embaixo.


Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *