Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Educar é a solução

Fui convidada a participar de sessão especial do Rotary Club Belém, em homenagem à desembargadora presidente do TJE-PA, Raimunda do Carmo Gomes Noronha, alusiva à sua condição de mulher exemplar. O orador oficial, advogado Eudiracy Silva, que é membro da Academia Paraense de Letras Jurídicas e já ocupou relevantes cargos públicos no Pará, destacou a sua condição de criança pobre, criada apenas pela mãe, com muita dificuldade, e sua determinação e dedicação aos estudos, que a levaram ao cargo máximo na Magistratura estadual. Emocionante e reveladora, a saudação foi uma das melhores que já ouvi, inclusive porque sucinta.
Impressionou-me o discurso de agradecimento da homenageada, que se despiu da autoridade e falou de sua infância carente, destacando o fato de sua mãe, então empregada doméstica, de quem herdou valores como a honestidade e a firmeza de caráter, ter tido a preocupação de proporcionar-lhe estudo e formação moral sólida. Contou que sua mãe sonhava que fosse professora normalista. Quando enfim conquistou essa condição, percebeu que não tinha vocação para o magistério e também que os profissionais da Educação, embora tenham a imensa responsabilidade de formar gerações, são muito mal remunerados, até hoje. E então estudou Direito, conseguiu se formar em 1969 – o que por si só já era um feito enorme para sua realidade na época -, prestou concurso para o Ministério Público e para o Judiciário, tendo sido aprovada em ambos, optou pela magistratura, e o resto todo mundo já sabe. Finalizou dividindo a homenagem não com as esposas dos rotarianos e convidadas, mas com todas as mulheres que lutam, sozinhas ou com seus filhos, e conseguem ser exemplo de superação.
Eu espero que, como presidente do TJE-PA e com uma história de vida tão bonita, a desembargadora Raimunda Noronha contribua para que a Educação seja de fato priorizada e se torne política de Estado, não de governo, de modo que qualquer um que ocupe o poder seja obrigado a valorizar os professores e a estimular os estudantes, oferecendo ensino público de qualidade a todos.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *