Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

Batizada de sagui-de-Schneider (Mico schneideri), em homenagem ao pesquisador brasileiro Horácio Schneider (1948-2018), geneticista da Universidade Federal do Pará e pioneiro da filogenética molecular de primatas, a descoberta alvoroçou a comunidade científica internacional. A nova espécie de sagui amazônico do…

Duciomar inelegível por 8 anos

Condenado em segunda instância por improbidade administrativa, pela lei da ficha limpa o ex-prefeito de Belém Duciomar Costa está impedido de se candidatar a cargos públicos nos próximos oito anos.  

No processo nº 0032221-93.2009.4.01.3900, por desvio de recursos que deveriam ter sido aplicados em melhorias no saneamento, Duciomar teve a primeira sentença condenatória em 2013. Recorreu mas a 4ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília, foi unânime ao manter a decisão.
Ele já esteve inelegível nas eleições de 2014 e 2016, por conta de condenação no TRE-PA por abuso de poder econômico. Chegou a concorrer em 2014, mas os votos foram invalidados. Agora, fica proibido de receber benefícios e subsídios ou celebrar contratos com o poder público e terá que devolver dinheiro pela não conclusão de obras e convênios com o governo federal. 

A inelegibilidade não é reconhecida automaticamente pela justiça eleitoral. Por isso, caso Duciomar se candidate, o Ministério Público Eleitoral ou coligações adversárias deverão impugná-lo. 

Duciomar responde a processos criminais, ações civis públicas e ações de improbidade por problemas na aplicação de recursos da saúde e de convênios federais diversos, desde inclusão digital a obras de recuperação do patrimônio. No total, ele é réu em 13 processos, só na Justiça Federal. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *