0

O Palácio Antônio Lemos, o Palacete Pinho, o Mercado de São Brás e a antiga sede da Fundação Papa João XXIII (Funpapa) são algumas das obras da Prefeitura de Belém em andamento, que mostram o compromisso com a preservação do patrimônio histórico. “Nós temos um conjunto de mais de dois mil imóveis históricos e que reforçam a condição de cidade histórica para Belém. Atualmente, iniciamos um grande processo de investimento no nosso centro histórico”, afirma o prefeito Edmilson Rodrigues.

O complexo do Ver-o-Peso, composto por três prédios históricos que abrigam o Mercado de Peixe, Mercado de Carne e o Solar da Beira, já tem assegurados recursos na ordem de R$ 80 milhões, para viabilizar a reforma desses espaços históricos na cidade, em parceria com o governo federal. Será uma das obras para receber a Conferência do Clima (COP- 30), em 2025. A reforma no Ver-o-Peso também deve preservar a memória e proporcionar mais conforto e segurança para quem trabalha na maior feira a céu aberto da América Latina e aos frequentadores do principal cartão postal da capital paraense. 

A Fundação Cultural do Município de Belém, responsável pela execução das políticas de patrimônio histórico, através de sua diretoria de Patrimônio Histórico, está atualizando o mapeamento de prédios históricos, tombados ou não, na cidade. O trabalho também servirá para pensar ações no sentido de preservar esses imóveis, sendo eles de propriedade do poder público ou privados.

“Na Fundação existe um protocolo específico de atendimento e de preservação do patrimônio histórico. A população pode procurar a Fumbel para buscar suporte nesse sentido”, explica a presidente da Fumbel, Inês Silveira.

CME outorgará Comenda Paulo Freire ao prefeito de Belém

Anterior

Diferença de recursos entre Norte e Sul no PAC é abissal

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *