O presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, foi aclamado ontem por servidores e deputados após a sessão plenária, que se estendeu até as 15h, ao entregar os espaços reformados que já estão prontos para utilização. É que, em…

O delegado de polícia de Oriximiná, Edmílson Faro, prendeu o vigia Ailton Ferreira da Silva a pedido do presidente da Câmara Municipal, vereador Marcelo Andrade Sarubi (PSDB) e do vereador Márcio Canto (PTB) e, na presença de ambos e do…

Primeira do Brasil totalmente focada na educação para o trânsito, a biblioteca do Detran-PA foi criada em 1998 e começou direcionada ao público interno, funcionando no antigo prédio do órgão, ao lado da Ceasa. Em 1º de novembro de 1999,…

A Prefeitura de Belém vai revitalizar dezesseis imóveis do município que estão há anos em situação de abandono. Além do resgate do patrimônio histórico, artístico e cultural, a intenção é reduzir gastos com aluguéis de prédios que abrigam órgãos municipais.…

Desfiliação em massa esvazia o partido Rede no Pará

Nada menos que 135 importantes lideranças do partido Rede Sustentabilidade no Pará se desfiliaram, descontentes com a condução da sigla por Úrsula Vidal. Em manifesto divulgado nas redes sociais, subscrito pelos dissidentes e informando seus respectivos municípios de atuação, eles historiaram que se dedicaram à construção de um projeto político partidário de centro-esquerda, organizado pela base, de oposição a Bolsonaro e com atuação militante, e em apenas seis meses conseguiram dobrar a quantidade de filiados, passando de cinco para vinte e cinco comissões provisórias, tendo realizado uma das maiores conferências preparatórias ao Congresso Nacional da Rede, de todo o Brasil.

O grupo justifica a insurgência afirmando que o sonho de um partido democrático, feminista, diverso e horizontal, com pauta ambientalista, animalista e de defesa dos direitos humanos, concretizado em projeto político coletivo, envolvia o compromisso de viabilizar uma chapa eleitoral com força para eleger um federal e um estadual e cumprir no Pará a cláusula de barreira, diretriz nacional da Rede, mas virou projeto exclusivo Úrsula 2022 e os interesses do partido e de outras candidaturas não estavam na lista de prioridades da candidata, assim como a não aceitação de críticas e divergências a ela.

Os 135 afirmam que a militância e lideranças da Rede estavam tentando filiar grandes lideranças políticas mas Úrsula Vidal não queria outras estrelas que lhe fizessem sombra. A cisma se aprofundou e rachou irremediavelmente a agremiação. Os divergentes acusam Úrsula de “práticas autoritárias, personalistas, que influenciaram a mudança da direção estadual, até então, um exemplo para a Rede Nacional, para uma direção familiar composta de namorado, comadre, padrasto, e de servidores públicos subordinados e funcionários da empresa de propaganda do seu namorado, que acabaram sepultando a última possibilidade de um convívio fraterno e de fortalecimento do partido”.

“O desrespeito da atual direção familiar, para com as lideranças que estavam construindo o partido em cada município, foi uma amostra de que a Rede Sustentabilidade Pará se transformou num partido com proprietária, uma extensão da agência de seu namorado. E isso não nos motiva! A Rede Sustentabilidade é um partido importante para o país, e esperamos que consiga superar a cláusula de barreira e siga defendendo a pauta ambiental, feminista, animalista e dos Direitos Humanos, pauta que foi interrompida pelo ego, desejo de se eleger de qualquer jeito e de destruição do projeto estadual. Seguiremos na luta, em outros espaços que possibilitem esta retomada”, proclamaram os separatistas, no desembarque da sigla.

Úrsula Vidal tomou conhecimento da publicação mas não se manifestou. Ela já foi filiada ao PPS, à Rede, ao PSol e ao Podemos; já se candidatou a deputada estadual, a prefeita de Belém e a Senadora pelo Pará, mas nunca se elegeu.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Participe da discussão

2 comentários

  1. SANEADA E LIVRE DOS OPORTUNISTAS, A REDE-PA ESTÁ CADA VEZ MAIS FORTE

    Acerca de nota veiculada nas redes sociais usando indevidamente o nome e a identidade visual de nosso partido, em que o ex-porta voz da Rede-Pa, Stefani Henrique, inventa “razões” para sua desfiliação, escamoteia sua prática misógina e faz a juntada, em lista, de uma série de nomes de não filiados e ex-filiados como se filiados fossem, temos a esclarecer que:

    1. Stefani Henrique foi afastado da direção da Rede-Pa por conduta misógina contra uma companheira da direção de Belém e contra companheiras do Partido dos Trabalhadores. Não era a primeira denúncia. Mas dessa vez ele o fez em video, que foi espalhado por ele mesmo por WhatsApp. O vídeo causou espanto na direção nacional da Rede e no Elo Mulheres nacional. Orientamos que o companheiro se retratasse. Se recusou. Disse que não tinha do que se arrepender ou desculpar-se, mesmo diante dos fatos. Foi então afastado de suas funções, em um acordo conduzido pela Nacional. Em que pesem as graves violações de sua fala pública, numa postura de desobediência às diretrizes internas, seu pequeno grupo forjou uma nota “em apoio” à sua conduta misógina, usando inclusive nomes de companheiras e companheiros que sequer foram consultadas e assinando em nome de um “Elo Mulheres” que sequer existia.
    2. A partir de então o ex-porta voz passou a atuar como oposição pública à nova direção da Rede e a empreender ataques à esmo contra Úrsula Vidal, principal figura pública do partido e às decisões da direção constituída. Sua crítica despolitizada à nova direção e à nossa principal liderança incluía ataques pessoais descabidos e desqualificados, que atingiam moral e pessoalmente a membros da direção reconhecida pela executiva nacional. Usando o fato de ter as redes sociais do partido associadas ao CNPJ de sua empresa, o ex-porta-voz excluiu pessoas, calou qualquer debate e atuou como grileiro de um espaço até então coletivo. Esse esgarçamento deliberado foi acompanhado de ameaças e bravatas, incluindo “vamos ver até onde vocês aguentam esticar a corda”, como se o partido estivesse num cabo de guerra contra seu núcleo insurgente.
    3. Com trajetória pessoal que inclui processos por prevaricação e a saída tumultuada de outros dois partidos, causou espécie a tentativa do ex-filiado de se vitimizar, empolando sua retórica oportunista como se estivesse sendo alvo de perseguição e como se o arrazoado de inverdades por ele escrito tivessem algum verniz político, quando tratava-se apenas da manifestação atabalhoada de um golpista flagrado em pleno ato. Como porta-voz, o ex-filiado montou direções de fachada em diversos municípios, transformou grupos de discussão em palco para autoemulação enquanto negligenciava a contabilidade e a administração do partido, levando a Rede-Pa a ser multada em mais de 130 mil reais pela não prestação de contas ao TRE. Seu movimento sorrateiro denotava a tentativa de organizar uma “tendência” dentro do partido, que funcionava como um partido paralelo, inclusive com fechamento de questões antes do debate em nossos fóruns. O insucesso dessa empreitada golpista levou seu grupo a uma operação kamikaze: fazer ataques à esmo e mentirosos contra Úrsula Vidal, começando por divulgar em blogues de aluguel fake news de que ela estaria inelegível e a Rede-Pa nem poderia lançar candidatos. O objetivo disso era nos chamar a um debate público para enxovalhar a nova direção e nossas lideranças, com métodos alheios à tarde, fragilizando o esforço de reorganização real que empreendemos em diversos municípios.
    4. Parte da narrativa sórdida do ex-porta-voz dizia respeito ao seu afastamento do cargo de confiança que exercia no governo. A versão falaciosa de sua demissão esconde uma conduta de servidor abusivo, faltoso e autoritário que, por fim, traiu a confiança de quem o nomeou. Como manter a confiança interna em quem nos agride publicamente? Ao contrário do que o ex-filiado diz, todos os seu direitos trabalhistas, como férias e décimo terceiro proporcional, foram pagos. A tentativa de se vitimizar, atacando mais uma vez uma mulher – o que, infelizmente, descobrimos que é sua prática contumaz – é uma prova adicional de um histórico de vida que o levou ao isolamento político e a um currículo de descrenças e confrontos físicos.
    5. A saída desse elemento e de seu diminuto grupo depura a Rede-Pa, melhora sua capacidade de gestão e de arregimentação política e dá, às centenas de filiados do partido, a certeza de estamos no caminho certo. É o indicativo de que estamos amadurecendo, nos depurando e acumulando forças para as tarefas centrais que nosso partido assumiu para 2022: derrotar Bolsonaro e eleger deputados sob a bandeira da sustentabilidade, do ecofeminismo e da democracia radical.
    6. Não existiu a noticiada desfiliação de mais de uma centena de aderentes ao partido, como prova uma simples pesquisa nos sites dos tribunais eleitorais. Por outro lado, a filiação partidária no Brasil é um ato voluntário. Ficam na Rede os que aceitam seu programa, respeitam seus princípios e assimilam sua cultura interna que preza pela democracia e pela cultura da paz. Aos que não partilham de nossas diretrizes, a porta da rua é serventia da casa.

    Direção Executiva Oficial Rede-PA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *