A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

Depois da ocupação MEC ouvirá grevistas

É grave a situação da educação pública federal.
Os professores das universidades tiveram que, com o apoio dos estudantes, ocupar o próprio gabinete do ministro da Educação para serem ouvidos em suas reivindicações. Eles questionam, entre outros itens da pauta, os cortes orçamentários na educação pública, enquanto o governo federal segue investindo dinheiro público em educação privada. Criticam o fato de que muitos campi de universidades federais foram abertos sem quaisquer condições de permanência estudantil, e exigiram que só fossem abertos novos campi com moradia estudantil e restaurante universitário. Por fim, exigem que o governo federal invista R$ 3 bilhões no Plano Nacional de Assistência Estudantil (PNAES).  Depois de muita pressão, o ministro Janine Ribeiro ficou de receber uma comissão no dia 5 de outubro.

Olgaíses Maués, 2ª vice-presidente da Regional Norte II da ANDES-SN, acentua que Janine é o único ministro da Educação que nunca recebeu o Sindicato Nacional ou os docentes grevistas. A greve já dura quase quatro meses e as negociações praticamente não avançaram, mesmo com os esforços dos grevistas em apresentar novos elementos para negociação.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *