O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Quase todo mundo já caiu na tentação de comer ou beber além do necessário, mas a data, 26 de janeiro, foi criada a fim de conscientizar a população sobre os perigos que a compulsão alimentar oferece à saúde. Neste ano,…

Danos ao rio Curuperé em Abaeté

O promotor de Justiça Bruno Saravalli Rodrigues propôs ação civil pública contra a Minerva S/A e a Prefeitura Municipal de Abaetetuba, pela poluição do rio Curuperé. O Ministério Público requereu liminar para que a empresa pare os atos de degradação ambiental e se adeque às normas e que a prefeitura fiscalize diariamente e impeça as atividades poluidoras, com adoção de medidas a serem definidas, imediatamente, por meio de exame pericial, sob pena de multa R$ 50 mil por dia. Na ação também é requerida a indisponibilidade de bens da Minerva S/A no valor de R$ 4 milhões, bem a desconsideração do termo de compromisso firmado entre a empresa e o município. 

O MP pede, ainda, a reparação integral dos danos ambientais e dos danos materiais causados a cada morador da região, eventualmente apurados em liquidação individual. Por danos morais coletivos a Promotoria de Abaetetuba requer o pagamento de R$ 2 milhões, em virtude das reiteradas atividades poluidoras do meio ambiente. O dinheiro deverá ser aplicado em ações benéficas à comunidade da região, como educação, cultura regional, desporto e lazer. A empresa também é ré em ação por causa do naufrágio do navio Haidar, no porto de Barcarena. 

No dia 2 de outubro de 2015, moradores da comunidade localizada às margens do rio Curuperé foram ao MP pedir providências sobre um termo de compromisso firmado entre a prefeitura de Abaeté e Minerva S/A. Eles relataram que a empresa, no ano de 2013, poluiu as águas dos igarapés localizados no ramal Curuperé Grande, que ficaram impróprias para consumo. A empresa teria firmado um termo de compromisso, em substituição a multa administrativa, com a responsabilidade de doar R$ 200 mil para o município, sendo que deste valor R$ 50 mil deveriam ter sido aplicados em obras na comunidade que suportou as consequências da poluição das águas. Mas a empresa está despejando resíduos advindos da lavagem de currais, com fezes de animais e pesticidas, às margens do rio. Os resíduos escorrem e as águas, que servem para abastecer a comunidade, ficam totalmente poluídas e com mau cheiro. 

Exames periciais na área confirmaram que os dejetos atingiram o rio e afetaram a saúde e o bem-estar da população local, além de provocar degradação ambiental.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *