A empresa de ônibus Belém-Rio, que faz a linha para o distrito de Outeiro – Ilha de Caratateua, em Belém, aparentemente está falida e reduziu pela metade a sua frota, causando enorme sofrimento aos usuários do transporte coletivo. O serviço,…

A Cosanpa abriu nada menos que seiscentos buracos imensos nos bairros mais movimentados de Belém, infernizando a vida de todo mundo com engarrafamentos e causando graves riscos de acidentes, principalmente porque chove sempre, e quando as ruas alagam os buracos…

O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

CPI requer informações e presença de diretores da Vale

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Alepa que apura a atuação da Vale S.A. no Pará aprovou, ontem, três requerimentos de autoria do presidente da CPI, deputado Eraldo Pimenta: um para reunir com a bancada federal paraense a fim de tratar do relatório da Reforma Tributária ao PL 2.337/2021, que altera a legislação do Imposto de Renda; e os demais pedindo informações à Vale e suas subsidiárias acerca do recolhimento de ISS nos municípios onde constroem as usinas de paz das empresas contratadas para a execução das obras; além de esclarecimentos em planilhas sobre o IRPJ e a contribuição social da mineradora sobre o lucro líquido.

As promotoras de justiça Maria José Vieira Carvalho e Albely Miranda Lobato, Coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Meio Ambiente do Ministério Público do Pará, participaram da sessão da CPI, a fim de aprofundar algumas investigações iniciadas, entre elas o porquê de a Vale ter resolvido investir no Ceará para instalar uma siderúrgica e ao invés do Pará, que é o maior produtor do minério de ferro e também da energia necessária à verticalização da cadeia produtiva.

A CPI convidou de novo o presidente executivo de Jurídico e Tributário da Vale S. A, Alexandre Silva D’Ambrósio e Marcello Spinelli, diretor-executivo de Ferrosos e Carvão, para depoimento presencial na próxima terça–feira (17), às 15h, na Assembleia Legislativa do Estado do Pará. Alexandre Silva D’Ambrósio foi convidado no início de julho e não compareceu, alegando problemas de saúde. Foi o segundo executivo da empresa que não compareceu às oitivas presenciais. Desta vez os deputados estão avisando que não aceitarão atestados médicos.

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Alepa que apura a atuação da Vale S.A. no Pará aprovou, ontem, três requerimentos de autoria do presidente da CPI, deputado Eraldo Pimenta: um para reunir com a bancada federal paraense a fim de tratar do relatório da Reforma Tributária ao PL 2.337/2021, que altera a legislação do Imposto de Renda; e os demais pedindo informações à Vale e suas subsidiárias acerca do recolhimento de ISS nos municípios onde constroem as usinas de paz das empresas contratadas para a execução das obras; além de esclarecimentos em planilhas sobre o IRPJ e a contribuição social da mineradora sobre o lucro líquido.

As promotoras de justiça Maria José Vieira Carvalho e Albely Miranda Lobato, Coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Meio Ambiente do Ministério Público do Pará, participaram da sessão da CPI, a fim de aprofundar algumas investigações iniciadas, entre elas o porquê de a Vale ter resolvido investir no Ceará para instalar uma siderúrgica e ao invés do Pará, que é o maior produtor do minério de ferro e também da energia necessária à verticalização da cadeia produtiva.

A CPI convidou de novo o presidente executivo de Jurídico e Tributário da Vale S. A, Alexandre Silva D’Ambrósio e Marcello Spinelli, diretor-executivo de Ferrosos e Carvão, para depoimento presencial na próxima terça–feira (17), às 15h, na Assembleia Legislativa do Estado do Pará. Alexandre Silva D’Ambrósio foi convidado no início de julho e não compareceu, alegando problemas de saúde. Foi o segundo executivo da empresa que não compareceu às oitivas presenciais. Desta vez os deputados estão avisando que não aceitarão atestados médicos.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *