Quando todos apostavam em uma radicalização que causasse esgarçamento das relações empresariais na cúpula das indústrias instaladas no Pará, a diretoria da Federação das Indústrias do Estado do Pará, liderada por José Conrado Santos e José Maria Mendonça, deu uma…

Os botânicos Fúvio Oliveira e Rafael Gomes, doutorandos do Programa de Pós-graduação em Botânica Tropical do Museu Paraense Emílio Goeldi e Universidade Federal Rural da Amazônia, concorreram com 86 jovens cientistas do mundo inteiro e estão entre os 23 contemplados…

Na próxima terça-feira, dia 16, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Chicão, deverá incluir na pauta do plenário a apreciação do Processo nº 7/2022, encaminhado pelo Tribunal de Contas do Estado, tratando da prestação de contas do Governo do Pará…

Liderados pelo presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), promotor de justiça Manoel Murrieta, que é paraense, promotores, procuradores, juristas e convidados do Brasil inteiro irão reafirmar o compromisso institucional do Ministério Público e o seu papel…

CPI requer informações e presença de diretores da Vale

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Alepa que apura a atuação da Vale S.A. no Pará aprovou, ontem, três requerimentos de autoria do presidente da CPI, deputado Eraldo Pimenta: um para reunir com a bancada federal paraense a fim de tratar do relatório da Reforma Tributária ao PL 2.337/2021, que altera a legislação do Imposto de Renda; e os demais pedindo informações à Vale e suas subsidiárias acerca do recolhimento de ISS nos municípios onde constroem as usinas de paz das empresas contratadas para a execução das obras; além de esclarecimentos em planilhas sobre o IRPJ e a contribuição social da mineradora sobre o lucro líquido.

As promotoras de justiça Maria José Vieira Carvalho e Albely Miranda Lobato, Coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Meio Ambiente do Ministério Público do Pará, participaram da sessão da CPI, a fim de aprofundar algumas investigações iniciadas, entre elas o porquê de a Vale ter resolvido investir no Ceará para instalar uma siderúrgica e ao invés do Pará, que é o maior produtor do minério de ferro e também da energia necessária à verticalização da cadeia produtiva.

A CPI convidou de novo o presidente executivo de Jurídico e Tributário da Vale S. A, Alexandre Silva D’Ambrósio e Marcello Spinelli, diretor-executivo de Ferrosos e Carvão, para depoimento presencial na próxima terça–feira (17), às 15h, na Assembleia Legislativa do Estado do Pará. Alexandre Silva D’Ambrósio foi convidado no início de julho e não compareceu, alegando problemas de saúde. Foi o segundo executivo da empresa que não compareceu às oitivas presenciais. Desta vez os deputados estão avisando que não aceitarão atestados médicos.

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Alepa que apura a atuação da Vale S.A. no Pará aprovou, ontem, três requerimentos de autoria do presidente da CPI, deputado Eraldo Pimenta: um para reunir com a bancada federal paraense a fim de tratar do relatório da Reforma Tributária ao PL 2.337/2021, que altera a legislação do Imposto de Renda; e os demais pedindo informações à Vale e suas subsidiárias acerca do recolhimento de ISS nos municípios onde constroem as usinas de paz das empresas contratadas para a execução das obras; além de esclarecimentos em planilhas sobre o IRPJ e a contribuição social da mineradora sobre o lucro líquido.

As promotoras de justiça Maria José Vieira Carvalho e Albely Miranda Lobato, Coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Meio Ambiente do Ministério Público do Pará, participaram da sessão da CPI, a fim de aprofundar algumas investigações iniciadas, entre elas o porquê de a Vale ter resolvido investir no Ceará para instalar uma siderúrgica e ao invés do Pará, que é o maior produtor do minério de ferro e também da energia necessária à verticalização da cadeia produtiva.

A CPI convidou de novo o presidente executivo de Jurídico e Tributário da Vale S. A, Alexandre Silva D’Ambrósio e Marcello Spinelli, diretor-executivo de Ferrosos e Carvão, para depoimento presencial na próxima terça–feira (17), às 15h, na Assembleia Legislativa do Estado do Pará. Alexandre Silva D’Ambrósio foi convidado no início de julho e não compareceu, alegando problemas de saúde. Foi o segundo executivo da empresa que não compareceu às oitivas presenciais. Desta vez os deputados estão avisando que não aceitarão atestados médicos.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *