Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

Confessionário virtual

Vale tudo na disputa para arrebanhar fieis, e todas as religiões estão investindo nas mídias digitais. Desde 2007, o Vaticano lançou seu próprio canal no YouTube. Em 2009, seu Facebook. Recentemente, o Papa Bento XVI exortou os católicos a usarem a comunicação online. Foi a senha para que a Little iApps desenvolvesse, com a ajuda de vários padres e a aprovação do bispo Kevin Rhoades, da diocese de Fort Wayne, em Indiana (EUA), um aplicativo para iPhone – o Roman Catholic -, que funciona como confessionário virtual. O programa, colocado à venda na loja virtual da Apple por US$ 1,99 (R$ 3,32), guia os usuários através do sacramento da confissão e permite – vejam só – um registro de seus pecados. Uma espécie, digamos, de memória para não reincidir na tentação. E ainda se propõe a fazer “uma avaliação personalizada da consciência para cada usuário”. Não é fofo?
O lançamento do produto causou um auê monumental e puxões de orelha em efeito dominó. O padre Frederico Lombardi, porta-voz do Vaticano, fez um comunicado oficial, hoje, de que os católicos não podem fazer suas confissões por meio do iPhone e a tecnologia não substitui a presença física quando se admite os pecados a um padre. Ah, bom! 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *