Os dirigentes do Sindicato e da Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa festejaram o resultado da reunião de hoje com o presidente da Alepa, deputado Chicão, que também convidou para o encontro o Chefe de Gabinete da Presidência, Reginaldo Marques…

A Administração Superior do Ministério Público do Pará está empenhada em fortalecer a atuação dos promotores de justiça no arquipélago do Marajó, onde a situação de extrema pobreza, agravada pela pandemia, perpetua crimes gravíssimos como os abusos e exploração sexual…

“A Prefeitura de Belém, por meio da Comissão de Defesa Civil de Belém, informa que realizou vistoria técnica no bloco B do imóvel localizado na avenida Presidente Vargas, 762, no dia 11 de fevereiro, às 9h, em conjunto com representantes…

DEM e PSL ainda nem consumaram a fusão, prevista para outubro deste ano, mas a briga já é de foice. O ex-presidente do Senado Davi Alcolumbre e o ex-prefeito de Salvador ACM Neto duelam nos bastidores pelo comando do novo…

Concerto lindo no MHEP

 Fotos: Tamara Saré/Secult

Fotos: Franssinete Florenzano
Digno dos melhores palcos do mundo o concerto “Belém! Paisagens Musicais”, do violonista parauara Salomão Habib, com participação especial do lendário Sebastião Tapajós, do poeta João de Jesus Paes Loureiro, e da cantora Andréa Pinheiro, ontem à noite, no Salão das Artes do Museu Histórico do Estado do Pará, o Palácio Lauro Sodré, antiga sede do Governo do Estado. 

A sala estava completamente lotada, e alguns ficaram de pé. Mas, infelizmente, a má educação também estava presente. Pessoas chegaram atrasadas. Telefones celulares tocaram. E houve quem atendesse e ainda saísse falando com o aparelho na orelha.  Também foi um tal de entra e sai, acho que para o toalete(!). E teve quem se desse ao desplante de, no vai-e-volta, encontrar amiga, parar e trocar beijinho bem em frente ao artista, na primeira fila. Tudo durante a apresentação.

Salomão Habib mostrou uns carimbós lindíssimos da série de 24 que compôs, contou causos bem humorados, tocou composições de Tó Teixeira, Catiá e Waldemar Henrique  e maravilhou a todos com sua Vihuela, seu Violão Tercino e seu Violão Decacorde, falando sobre cada um dos instrumentos. 

Originada da fusão das guitarras mourística e romana, a  Vihuela foi um instrumento formatado na Península Ibérica, em particular na Espanha, que se desenvolveu com grande vigor no séc. XV (a partir de 1.604) e alcançou enorme sucesso com o lançamento do primeiro Tratado (Método) Musical pelo compositor aragonês Gaspar Sanz. Historicamente configurada como uma “parente longínqua” do violão  atual, foi a responsável pela grande difusão da música instrumental medieval na Europa e nas colônias recém-conquistadas no Novo Mundo, servindo tanto às Cortes e seus menestéis quanto aos trovadores populares. O Tercino data do final do período barroco e é resultante de uma alteração na guitarra medieval, para aumentar a potência nas cordas. Caiu em desuso no período clássico, em razão de sua afinação iniciada com uma terça, ou seja, três notas acima da guitarra tradicional. Já o violão Decacorde, como o nome sugere, tem dez cordas, que lhe garante vasta amplitude de sons graves próprios dos ritmos regionais.

JJ. Paes Loureiro emocionou a todos ao recitar seu lindo poema “Belém: o Azul e o Raro“. Andréa Pinheiro cantou “Canção para Belém” (letra de Paes Loureiro e música de Salomão Habib). E o genial Sebastião Tapajós tocou “Flores para Nossa Senhora” e “Emanuelle”, de sua autoria, e  “Batuque no Paracuri”, de Salomão Habib.

Ao final, Salomão Habib agradeceu o patrocínio do SESC/Secult e o espaço do MHEP, administrado pelo artista plástico Sérgio Melo, e autografou seu kit de 3 CDs, DVD e partituras de Tó Teixeira. E Sebastião Tapajós me contou que vem de novo a Belém dia 23 para uma apresentação especial no espaço cultural Azevedo Barbosa. Tomara que me convidem!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *