A sesquicentenária samaumeira que perdeu seus galhos na madrugada desta segunda-feira (6) é memória afetiva de todos os paraenses e até de gente de fora do Pará e do Brasil que frequenta Belém durante o Círio de Nazaré. Localizada em…

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Nem bem foi inaugurado, e ainda faltando a instalação dos bancos e finalização, o calçadão da Avenida Beira-Mar, em Salinópolis, sofreu diversas avarias. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras acionou a empresa responsável pela obra, que está executando ações…

A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

CONAMP lança nota pública

Presidida pelo promotor de justiça paraense Manuel Murrieta, a Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), maior entidade representativa do MP brasileiro, com 16 mil associados, manifestou oficialmente seu apoio ao sistema de justiça eleitoral do país. Eis a nota pública na íntegra, com exclusividade no Portal Uruá-Tapera:

“A Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), maior entidade representativa do MP brasileiro, com 16 mil associados, manifesta seu apoio ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ao sistema de justiça eleitoral do país.

O sistema de voto eletrônico, implementado há 26 anos, – com constante fiscalização do Ministério Público Eleitoral – jamais teve contra si qualquer comprovação ou sequer indício que sustente dúvida quanto a sua eficiência e lisura. Pelo contrário, o modelo eletrônico brasileiro é, hoje, uma referência internacional.

Os Membros do Ministério Público estão prontos para atuar em defesa da Constituição e do Estado de Direito, sobretudo para assegurar a realização do pleito deste ano.

Manoel Murrieta

Presidente da CONAMP”

O surgimento da Conamp tem uma história significativa. No final da década de 1960, quando o Brasil estava mergulhado na ditadura militar, o presidente da República, Marechal Castelo Branco, enviou ao Congresso Nacional um projeto de Constituição, que resultaria depois na Carta de 1967. Em um período de censura, havia o receio de que fosse imposto o modelo centralizado do Ministério Público Federal: o Procurador da República era, ao mesmo tempo, membro do MP e Advogado da União, ambivalência que significa representar a vontade do governo e, ao mesmo tempo, defender interesses sociais colidentes com as pretensões do governante.

Foi, então, concebido um organismo de representação nacional, a fim de que os promotores de justiça dos Estados se fizessem ouvir. No dia 10 de dezembro 1970, em Teresópolis (RJ), a “Carta de Princípios” daria origem à Confederação das Associações Estaduais do Ministério Público. A entidade foi oficialmente fundada no dia 30 de maio de 1971, em Ouro Preto (MG).

Mais tarde, em 24 de agosto de 1978, com a adesão dos ramos do Ministério Público da União, o nome mudou para Confederação Nacional do Ministério Público, mantida a sigla Caemp, que em 16 de dezembro de 1992 foi modificada para Conamp. E, em 16 junho de 2000, buscando alcançar legitimação para propor Ações Diretas de Inconstitucionalidade – ADI’s, mudou a natureza jurídica e passou a se chamar Associação Nacional dos Membros do Ministério Público, mas manteve a sigla CONAMP, já consagrada.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *