A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

Comissão ouve sudeste do Pará sobre Lei Kandir

FOTO: OZEAS SANTOS
Presidida pelo deputado Celso Sabino, a Comissão Parlamentar de Estudo sobre a Lei Kandir, da Assembleia Legislativa, realizou sessão especial hoje de manhã na Câmara Municipal de Parauapebas e, às 16h, fará outra na Câmara Municipal de Canaã dos Carajás. Em pauta, o trabalho que vem sendo desenvolvido a fim de garantir as compensações pelas perdas do Pará, que alcançam, só no período entre 1996 e 2015, mais de R$44 bilhões, conforme levantamento da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa). 

O Pará é o terceiro Estado do País mais prejudicado pela desoneração imposta pela Lei Kandir, que desde 1996, quando entrou em vigor, previa a regulamentação quanto à forma da compensação, o que nunca aconteceu. 

Em ação ajuizada desde 2013, o Pará obteve decisão do STF no sentido de que o Congresso Nacional estabeleça em lei complementar os critérios para as compensações. Caso o prazo de um ano que encerra em dezembro seja descumprido, caberá ao Tribunal de Contas da União a regulamentação. 

A Alepa pretende enviar uma proposta ao Congresso Nacional. Para isso, ouve especialistas no tema e realiza reuniões abertas ao público em municípios como Marabá, Santarém e Barcarena, além de Parauapebas e Canaã dos Carajás. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *