O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Chicão, convocou e empossou Torrinho Torres, primeiro suplente do Podemos, na vaga do deputado Igor Normando, que está licenciado para exercer o cargo de secretário de Estado de Articulação da Cidadania. O novo parlamentar…

Reconhecimento máximo da Associação Paulista de Críticos de Artes a obras de Literatura, Música popular, Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Rádio, Teatro, Teatro Infantojuvenil e Televisão, o Prêmio IPCA, anunciado na segunda-feira, 6/2, contemplou o livro de contos “Eu já…

A sesquicentenária samaumeira que perdeu seus galhos na madrugada desta segunda-feira (6) é memória afetiva de todos os paraenses e até de gente de fora do Pará e do Brasil que frequenta Belém durante o Círio de Nazaré. Localizada em…

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Comissão de Transição contempla todo o país

O vice-presidente Geraldo Alckmin divulgou hoje a relação completa dos que compõem os grupos técnicos da transição. Cinco ex-ministros de governos petistas foram indicados: Guido Mantega (Fazenda), Paulo Bernardo (Comunicações), Eleonora Menicucci (Mulheres), Nilma Lino Gomes (Direitos Humanos e Igualdade Racial) e Maria do Rosário (Direitos Humanos), além do ex-governador de São Paulo Márcio França e do prefeito de Recife, João Campos, ambos do PSB, do governador do Maranhão e senador eleito, Flavio Dino; da futura primeira-dama, Rosângela da Silva, a Janja (organização da posse), e a senadora Simone Tebet (MDB), à frente da Assistência Social.

Do Pará, foram incluídos o senador Jader Barbalho, o governador Helder Barbalho e Zé Carlos Lima na área Política; a ecóloga e ex-diretora geral do Museu Paraense Emílio Goeldi, Ima Vieira, que é membro da Comissão Justiça e Paz da CNBB Norte II e diretora do Instituto de Defesa dos Direitos Humanos Dom José Luiz Azcona, na Ciência e Tecnologia; a jornalista e professora doutora em Ciências Ambientais, pesquisadora Raimunda Monteiro, ex-reitora da UFOPA; no Desenvolvimento Regional; Esther Bemerguy, ex-secretária do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República; no Meio Ambiente, o historiador e antropólogo Márcio Meira, ex-presidente da Funai; e Tapi Yawalapiti, liderança e cacique da TI no Alto Xingu; e no Planejamento, o economista, ex-secretário de Estado do Pará e ex-deputado federal Cláudio Puty, atual secretário municipal de Planejamento e Gestão de Belém, além da ex-secretária de Estado da Pesca, Socorro Pena, docente da UFOPA e doutora em Educação.

A transição é apoiada em três coordenações principais: Administrativa e Jurídica, sob comando de Pesaro (PSB); Relações Institucionais, comandada por Gleisi Hoffmann; e Programa de Governo e Núcleos Temáticos, sob Aloizio Mercadante. Alckmin é coordenador geral.

No início da semana, Alckmin anunciou nomes na área da economia: André Lara Resende, Pérsio Arida, Nelson Barbosa e Guilherme Mello. Guilherme Boulos (PSOL) foi alocado na área de Cidades e José Henrique Paim, na educação. O senador Humberto Costa (PT-PE) integra a equipe responsável pela área da Saúde junto com o deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP), e os ex-ministros José Gomes Temporão e Arthur Chioro. O médio David Uip também foi anunciado como integrante do time, mas recusou o convite.

O deputado federal André Janones integrará a equipe de comunicação; o advogado Cristiano Zanin, que representa o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, em praticamente todos processos a que ele responde na Justiça; assim como o ex-chanceler do governo de Michel Temer, Aloysio Nunes Ferreira, estão no núcleo de Relações Exteriores.

A ex-jogadora de vôlei Isabel Salgado, que morreu na manhã desta quinta-feira, era uma das integrantes mais festejadas.

No GT de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, figuram o ex-ministro e deputado federal Neri Geller (PP-MT) e o senador Carlos Fávaro (PSD-MT), além da ex-ministra e senadora Kátia Abreu (PP-TO). Também integram o GT do Agro o ex-ministro Luiz Carlos Guedes e o ex-deputado federal Joe Valle (DF). Pela Embrapa, participam o ex-diretor presidente da estatal, Silvio Crestana, e a ex-diretora-executiva, Tatiana Deane de Abreu Sá, e o CEO da União da Indústria de Cana-de-Açúcar e Bioenergia (Unica), Evandro Gussi.

No GT de Desenvolvimento Agrário, o ex-ministro da área, Miguel Rosseto, o deputado federal Pedro Uczai (PT-SC), a coordenadora de Formação e Educação Profissional da Confederação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Contraf), Elisângela Araújo; a pesquisadora em desenvolvimento rural sustentável, Célia Hissae Watanabe; o ex-deputado federal João Grandão (MT); o membro coordenação Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), José Josivaldo Oliveira; o professor da UnB e assessor do MST, Luiz Henrique Gomes de Moura; a coordenadora-geral da Contraf, Maria Josana de Lima Oliveira; a servidora do Incra Robervone Nascimento; e o presidente da União Nacional das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária, Vanderley Ziger.

No GT de Saúde, foram confirmados também o presidente do Conselho Nacional da Saúde, Fernando Zasso Pigatto; a presidente do Centro Brasileiro de Estudos da Saúde, Lúcia Souto; a coordenadora de Cardiologia do Instituto do Câncer do estado de São Paulo, Ludhmila Abrahão Hajjar; a ex-presidente do Conselho Nacional de Saúde, Maria do Socorro de Souza; a presidente da Fundação Oswaldo Cruz, Nísia Trindade Lima; a superintendente do Complexo Hospitalar Universitário da UFPA, Regina Fatima Feio Barroso; e o diretor clínico do Instituto do Coração (InCor), Roberto Kalil Filho.

No GT de Minas e Energia, brilha o senador Jean Paul Prates (PT-RN), cotado como ministro da área ou presidente da Petrobras. Também estão no grupo a ex-diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriand, o ex-diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e secretário-executivo do MME, Nelson Hubner, e o ex-presidente da Empresa de Planejamento Energético (EPE) e também secretário-executivo do MME, Mauricio Tolmasquim. Completam o GT o ex-ministro dos Transportes, Anderson Adauto; o coordenador geral da Federação Única dos Petroleiros, Deyvid Barcelar; o ex-deputado federal (PE), Fernando Ferro; o ex-secretário executivo do Gabinete Pessoal da ex-presidente Dilma Rousseff, Giles Azevedo; o membro do conselho diretor do Centro de Empreendedorismo da Amazônia, Guto Quintela; o diretor da Associação dos Engenheiros e Técnicos do Sistema Eletrobras, Ikaro Chaves; o membro da Coordenação Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Robson Sebastian Formica; e o diretor técnico do Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (Ineep), William Nozaki.

GT de Trabalho contará com o presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo; o presidente da Força Sindical, Miguel Torres; o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah; e o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sérgio Nobre. Também integram o grupo o pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), André Calixtre; o ex-diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Clemente Gantz Lucio; o diretor técnico do Departamento Intersindical do Dieese, Fausto Augusto Júnior; a ex-diretora da Cepal e da OIT no Brasil, Laís Abramo; a ex-presidente da Associação Brasileira de Estudos do Trabalho, Patrícia Vieira Trópia; e a mestre em Economia pela Unicamp, Sandra Brandão.

Já no GT de Previdência Social estão o ex-ministro José Pimentel, Alessandro Antônio Stefanutto, ex-chefe da Procuradoria Federal Especializada do INSS; Eduardo Fagnani, pesquisador do Centro de Estudos Sindicais e do Trabalho; Fabiano Silva, membro da Comissão de Previdência da OAB-SP e da Comissão de Previdência do Conselho Federal da OAB; Jane Berwanger, doutora em direito previdenciário; e Luiz Antônio Adriano da Silva, ex- membro do Conselho de Assistência Social e do Conselho de Previdência Social.

Além disso, participam do conselho político do governo de transição representantes dos dez partidos da coligação feita por Lula para concorrer no pleito deste ano (PT, PCdoB, PV, PSB, PSOL, Rede, Solidariedade, Avante, Agir e PROS), além de PDT e PSD, que entraram em acordo com a equipe de Lula após a vitória dele no primeiro turno. A lista é imensa e conta, ainda, com voluntários que irão agregar.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *