0

A manhã deste sábado foi especial, o Círio Fluvial de Nossa Senhora da Conceição, padroeira de Abaetetuba (PA). Ontem houve o traslado da imagem peregrina até a comunidade Baixo Itacuruçá, de onde saiu a procissão sobre as águas.

Conta a história do município que, na terceira década do século XVIII, o fidalgo português Francisco Azevedo Monteiro foi acossado por violenta tempestade quando viajava pelo rio Pará. Ele rogou à santa proteção para si e a sua família que estava em pequena embarcação. Como pagamento da promessa que fizera, o lusitano mandou construir uma capela. Depois, trouxe de Portugal uma imagem de N.Sra. da Conceição esculpida em cedro mogno da Amazônia, e adquiriu junto à Coroa a área do atual município de Abaetetuba. A partir de então, o pequeno aglomerado passou a ser denominado Vila de Nossa Senhora da Conceição de Abaeté.

Francisco Azevedo Monteiro esteve pela primeira vez no aglomerado dos abaetés no ano de 1724, no dia 8 de dezembro, em que já se comemorava N. Sra. da Conceição em Portugal. Desde então, a pequena população do lugar passou, anualmente, a prestar homenagem à santa padroeira. Mas só a partir de 1912 o Círio da Imaculada Conceição passou a ser oficial.

Abaetetuba é banhada pelo rio Maratauíra (ou Meruú), afluente do rio Tocantins, e tem nada menos que 72 ilhas.

As fotos são da Pascom – Paróquia Nossa Senhora da Conceição.

Violência contra mulher não tem desculpa

Anterior

No balanço de perdas e danos…

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *