A Administração Superior do Ministério Público do Pará está empenhada em fortalecer a atuação dos promotores de justiça no arquipélago do Marajó, onde a situação de extrema pobreza, agravada pela pandemia, perpetua crimes gravíssimos como os abusos e exploração sexual…

“A Prefeitura de Belém, por meio da Comissão de Defesa Civil de Belém, informa que realizou vistoria técnica no bloco B do imóvel localizado na avenida Presidente Vargas, 762, no dia 11 de fevereiro, às 9h, em conjunto com representantes…

DEM e PSL ainda nem consumaram a fusão, prevista para outubro deste ano, mas a briga já é de foice. O ex-presidente do Senado Davi Alcolumbre e o ex-prefeito de Salvador ACM Neto duelam nos bastidores pelo comando do novo…

Um pastor de igreja evangélica localizada no município de Breves, no arquipélago do Marajó, foi condenado a 39 anos de prisão por estupro de vulnerável, exploração sexual e por possuir e armazenar pornografia infantil, com o agravante de que ele…

Cenas parauaras

Eu trafegava há pouco pela Av. Governador José Malcher, uma das principais artérias de Belém do Pará. Pois bem. Perto da Av. Alcindo Cacela, havia um ônibus vazio parado. Estava no prego. As luzes apagadas, sem pisca alerta e sem o triângulo de segurança. O motorista e o cobrador estavam sentados no chão, atrás do veículo. Se um motorista distraído e com excesso de velocidade enxergar os dois tarde demais, lá se vai mais uma tragédia. 

Mais adiante, na Rua Benjamin Constant, entre Passagem Bolonha e Henrique Gurjão, um caminhão de lixo parado impede o trânsito. Peço aos garis, que estão na calçada conversando, para que sigam adiante e liberem a via. Eles me dizem para passar. Pondero que não dá, há um utilitário esportivo estacionado ao lado e a rua é estreita. Então eles me explicam que o motorista está no banheiro passando mal. E que pode demorar muito ainda. Aí, com a ajuda de um deles a me guiar, tratei de conseguir esgueirar meu carro, tirando um fino de cada lado. Só o que posso fazer é aconselhar: não andem por lá. Pelo menos até acabar o piriri do caboclo.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *