O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Chicão, convocou e empossou Torrinho Torres, primeiro suplente do Podemos, na vaga do deputado Igor Normando, que está licenciado para exercer o cargo de secretário de Estado de Articulação da Cidadania. O novo parlamentar…

Reconhecimento máximo da Associação Paulista de Críticos de Artes a obras de Literatura, Música popular, Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Rádio, Teatro, Teatro Infantojuvenil e Televisão, o Prêmio IPCA, anunciado na segunda-feira, 6/2, contemplou o livro de contos “Eu já…

A sesquicentenária samaumeira que perdeu seus galhos na madrugada desta segunda-feira (6) é memória afetiva de todos os paraenses e até de gente de fora do Pará e do Brasil que frequenta Belém durante o Círio de Nazaré. Localizada em…

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Celebração da matriz africana


A Assembleia Legislativa, em sessão solene hoje de manhã, outorgou a Comenda Mãe Doca, alusiva a uma importante liderança afro-religiosa, reconhecida como a primeira mulher a tocar tambor no Pará, a várias personalidades do movimento negro. A iniciativa é do deputado Dirceu Ten Caten(PT). A comenda foi criada através de requerimento da sua mãe, a ex-deputada Bernadete Ten Caten, com o objetivo de valorizar o trabalho das lideranças que atuam na preservação da cultura dos povos e das religiões de matriz africana. O plenário Newton Miranda ficou multicolorido e cheio de sonoridade. Logo na abertura, um grupo cantou e dançou, como forma de pedir bênçãos. A sessão foi presidida pelo deputado Cássio Andrade(PSB), e prestigiada pelo deputado Sidney Rosa(PSB).

Durante toda esta semana, a Alepa celebrou a afro-religiosidade. Um relatório foi apresentado pela Comissão de Direitos Humanos, ontem, sobre intolerância religiosa contra os povos de matriz africana. Para se ter uma ideia, só de 2015 a 2017 foram assassinadas sete lideranças afro-religiosas no Pará. 

No hall do Palácio Cabanagem, a exposição “Imagem do Sagrado”, que encerra hoje, mostra parte dos símbolos religiosos dos povos e comunidades tradicionais de matriz africana. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *