A desgraça sempre chega a galope, mas tudo o que é bom se arrasta indefinidamente no Brasil, o país dos contrastes e contradições, rico por natureza, com poucos bilionários e povo abaixo da linha da pobreza. Parece inacreditável, mas tramita…

O prefeito de Oriximiná, Delegado Willian Fonseca, foi reconduzido ao cargo pelo juiz titular da Vara Única daComarca local, Wallace Carneiro de Sousa, e literalmente voltou a tomar posse nos braços do povo. Era por volta do meio-dia, hoje (26),…

A equipe multidisciplinar do centro obstétrico da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, em Belém (PA), vivenciou uma experiência rara e emocionante: o parto empelicado. Imaginem um bebê nascendo dentro da placenta intacta, com os movimentos visíveis, praticamente ainda…

Em ação civil coletiva do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem, Técnico Duchista, Massagista, Empregados em Hospitais e Casa de Saúde do Estado do Pará, na qual o Ministério Público do Trabalho PA-AP atuou como fiscal da lei, a 2ª Vara…

Celebração da matriz africana


A Assembleia Legislativa, em sessão solene hoje de manhã, outorgou a Comenda Mãe Doca, alusiva a uma importante liderança afro-religiosa, reconhecida como a primeira mulher a tocar tambor no Pará, a várias personalidades do movimento negro. A iniciativa é do deputado Dirceu Ten Caten(PT). A comenda foi criada através de requerimento da sua mãe, a ex-deputada Bernadete Ten Caten, com o objetivo de valorizar o trabalho das lideranças que atuam na preservação da cultura dos povos e das religiões de matriz africana. O plenário Newton Miranda ficou multicolorido e cheio de sonoridade. Logo na abertura, um grupo cantou e dançou, como forma de pedir bênçãos. A sessão foi presidida pelo deputado Cássio Andrade(PSB), e prestigiada pelo deputado Sidney Rosa(PSB).

Durante toda esta semana, a Alepa celebrou a afro-religiosidade. Um relatório foi apresentado pela Comissão de Direitos Humanos, ontem, sobre intolerância religiosa contra os povos de matriz africana. Para se ter uma ideia, só de 2015 a 2017 foram assassinadas sete lideranças afro-religiosas no Pará. 

No hall do Palácio Cabanagem, a exposição “Imagem do Sagrado”, que encerra hoje, mostra parte dos símbolos religiosos dos povos e comunidades tradicionais de matriz africana. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *